SEGUIDORES

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Não te peço


      
 Não te peço que me escutes. A tua voz está
na música que abriga a simetria do infinito.
Explica-me, amado, o segredo da harmonia
que se adentra no coração destes sons eflúvios 
que levam as penas da alma e abrem o sorriso
das pupilas, num alerta que se rende ao encanto
deste voo onde se reverencia  a ave que se esconde
dentro de cada célula.
Um voo que se eleva para além da física dos sons
e semeia silêncios de lagos de longas horas.

Nada entendo, senão o êxtase de te ouvir
no compasso flutuante das flautas e violinos
que me prendem a um espelho  que me ofusca,
me apaga.

Basta - me o mistério deste grito interior,
num misto de cumplicidade e alegria,
dor e saudade 
que se exaltam neste incêndio de  magia
como se não fora realidade.

Manuela Barroso, “Luminescências”





17 comentários:

chica disse...

Aplausos e mais aplausos pra tua linda inspiração! Beleza! bjs praianos,chica

Elvira Carvalho disse...

A sua poesia sempre em crescendo.
Abraço e bom fim de semana

Majo Dutra disse...

~~
Imagens maravilhosas em versos tocantes e artísticos...

Um poema expressivo e muito belo.

Dias ótimos em alegrias e inspirações.
Beijinhos
~~~~

Mar Arável disse...

Neste poema de luz que se irradia
o destinatário deve estar de mãos no ouvido dos búzios e nós também

Bj

María Dorada disse...

Muy bello tu poema.

Besos.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de sábado, querida amiga Manuela!
Quem tem cumplicidade não precisa pedir mais nada... Tem tudo e um pouco mais.
Lindo seu poema, como lhe é habitual!
Tenha um final de semana abençoado!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Agostinho disse...

Leio "semeia silêncios de lagos de longas horas" e a fita desliza em movimento inverso. Do presente para o passado. Tão belo o dizer que vejo o voo de a libélula, a mais delicada libelinha, a rasar o espelho. A horizontalidade não se perturba.
Que recata por baixo, como se sustenta o céu e o mundo revelado em cima?, afunda não afunda. Parece mentira...
O paradoxo é o som desejado em ebulição que sobe, sublima e arde: é amor.
Gostei muito. Parabéns.
Beijo.

Graça Pires disse...

O mistério de um grito interior. Um grito que semeia silêncios e que ostenta nos lábios asas de fascínio para qualquer voo, redimindo a passagem do tempo rente ao olhar.
Muito belo, Manuela, minha Amiga.
Uma boa semana.
Um beijo.

Gracita disse...

Há sempre um mistério há ser desvendado nestes silêncios que dizem tanto na sua tão fabulosa poesia minha comadre
Ler-te é beber do bálsamo da tua belíssima arte
Beijinhos perfumados se poesia

saudade disse...

Um grito interior faz falta para realçar sentimentos.
Excelentes palavras.
Beijo

Ailime disse...

Boa tarde Manuela,
Um poema maravilhoso de tão belo pela excelência poética.
Um beijinho e parabéns pela sua sublime inspiração.
Ailime

Manuel Veiga disse...

tudo se conjuga no poema (palavras, ritmo, evocações, paisagens, movimentos, êxtases) para a glorificação e exaltação da "dor da saudade" - "incêndio de magia como se não fora realidade"

um poema belíssimo
e "Luminescências” um livro memorável

parabéns, Manuela
gostei muito

beijos

Teresa Almeida disse...

O poeta não cabe dentro de si. E é tão fecunda a tua exaltação e tão puras as asas em que te expandes!

Amei, querida Manuela.

Beijos, amiga

Toninho disse...

Assim cada vez mais o desejo de tê-lo.
Lindo o êxtase de sentir esta saudade e o sentimento que se materializa,
numa linda claridade poética.
É o voo de Manuela com toda sua elegância poética.
Beijo amiga e feliz fim de semana.

Ana Freire disse...

E cada palavra nos remete para um inspirador voo, perante um horizonte tão belo e poético...
Mais uma inspiração absolutamente notável, Manuela! Parabéns!!!
Um beijinho grande!
Ana

Leninha Brandão disse...

Visualizo organzas , rendas e cetins...e de magias me envolvo ao sentir a doce melodia dos 🎻 e das flautas, neste vôo em busca do sentido da vida.

Giancarlo disse...

Me lo sono letto tre volte, bellissima.

Buon Weekend.