SEGUIDORES

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Noites


As palavras deitam-se ao ritmo das horas incertas dos espaços mentais…
Os números do tempo aquietam-se no sossego e tranquilidade da noite.
Ouve-se um sussurro quente que mexe a roupa nos estendais…
...o vulto de mim, aproxima-se da janela aberta que me abraça com a noite...
O ventinho morno convida para um “tête-à- tête”, na noite cálida.
Aceito.
O som continua cavo, vindo das profundezas do horizonte que já não lobrigo.
Tudo calmo...
Só um vento mensageiro de mistérios que se escondem nas esquinas esconsas da cidade...
A roupa continua a dançar no estendal, como num bailado de fantasmas…
…E o olhar perde-se por instantes, prendendo-se ao piar pegajoso das gaivotas...
Saboreio esta mensagem de ar,  com as cerejas de Maio…
...mistura de sabores que vagueiam no cérebro, onde dormem recordações…
…E a leitura da brisa começa a saber a arrepio, a saudades nocturnas…
Olhos que se deitaram no céu, perdiam-se agora em lembranças fugidias que o inconsciente teima em avivar…
Uma espécie de “déjà vu” retira-me da janela que agora fecho com a alma dos olhos e empurro com os olhos das mãos...
Recolho o silêncio da noite e deponho-o no meu leito…
…é com ele que me deito!

Manuela Barroso

8 comentários:

Leninha disse...

Manu querida,ao meu lado está minha netinha jogando no computador e me roubando a inspiração(um joguinho cantado que grita FANTÁSTICO,a cada vez que ela acerta)Meu pensamento não acompanha a emoção da leitura de teu belo poema e não consigo abstrair,ignorar este som cadenciado do computador...

Uma imagem que amei em seu belo poema:

Uma espécie de “déjà vu” retira-me da janela que agora fecho com a alma dos olhos e empurro com os olhos das mãos...
Recolho o silêncio da noite e deponho-o no meu leito…
…é com ele que me deito!

Aplausos DE PÉ ao teu texto/poema/melodia!!!!
Bjssssssss e muito carinho
(Posso publicar?)

Menina no Sotão disse...

A noite aqui está calma, mas há um rock em minha alma, as sombras se formam ao longo do meu olhar. São móveis, ilusões, pedaços de mim, pedaços de outros. São imóveis. Sou eu... No inconsciente dessa minha alma, me perco e me encontro milhares de vezes e o ar que eu respiro leva para dentro de mim essas sensações que despertaram junto as palavras que pareccem sementes num jardim onde um "anjo azul" parece serenar...

bacio

mfc disse...

Esse silêncio é-nos tão necessário!
Revi-me a sarandar por esse silêncio reconfortante.

Tânia Camargo disse...

Que belo escrito! Aliás, seu blog está recheado deles.
Foi uma agradável surpresa encontrar seu blog... Gostei tanto que vou ficar por aqui *__*

Bjs em seu coração e um maravilhoso finald e semana p/ vc e sua família,

Tânia

Celso Mendes disse...

Lindo texto. Traz com ele um pouco da magia que a noite pode esconder ou revelar.

Beijo, Manuela!

Rui Pascoal disse...

Depois de ler e reler, ainda ouço o silêncio da noite... e sinto uma paz enorme à minha volta.
Bem Haja pela partilha!

joaquimdocarmo disse...

Hino ao "querido silêncio", só distraído quando... "calado"!
Beijinho
Quicas

Beatriz Bragança disse...

Querida Manu
Os pensamentos que a noite nos traz!
O silêncio é um poderoso mensageiro!
Tudo nos ocorre e tu consegues descrever esta calma de uma forma deliciosa.
Um beijinho
Beatriz