SEGUIDORES

domingo, 31 de julho de 2011

No mar


O sol celebrava a festa da tarde.
As ondas uma a uma se empurravam
com uma pressa disfarçada para chegar à areia fina
enrolando-se em cabelos
como tranças de menina!

Vi-te na onda que abraçava agora a costa
trazendo nos caracóis beijos e conchas de mar!
A areia morria com a espuma
e as ondas uma a uma
faziam dos rochedos seu par!

O olhos do horizonte confundi-os com os teus
e perdi-me na maré cheia
levada pela brisa morna...
neste vai e vem que embala.

Voltarás com os olhos da lua
no espelho do mar de prata!

Manuela Barroso, "Eu Poético III"


11 comentários:

Leninha disse...

Manu muito querida,belíssima esta festa do sol,repleta de magia e lirismo,escondidos nesta trança de menina...e é ternura e encanto quando os olhos do horizonte se confundem com outros olhos...
Bjssssss carregados de luar
Leninha

mfc disse...

A olhar o mar os pensamentos vêm em catadupa...
Tudo é poético nesse olhar!

Menina no Sotão disse...

O mar e suas ilusões de idas e vindas. Tão singular saborear essa paisagem desenhada por tuas linhas. Confundir horizontes é uma delícia, saboreá-los então tendo como fundo o mar é divino. grazie por essa pintura que levou brilho aos olhos meus...

bacio

Celso Mendes disse...

Figuras carregadas de um lirismo encantador, que, como o oscilar das ondas, levam e trazem emoções.

beijo, amiga!

Leninha disse...

Manuela querida,longe agora estou do mar e teu poema vem trazê-lo de volta.Mas as ondas que me aguardem,brevemente estarei de volta...
Bjsssss e um cheiro de maresia,
Leninha

Rui Pires disse...

Poesia em forma de ilustração, de regresso de férias... eheheh... e que encanto poder ler a sua genuína forma poética de escrever!
É um deleite!

Rui

joaquimdocarmo disse...

Olhar bem poético, embalando-nos docemente, que nem as ondas do mar em sossegado espreguiçar...
Beijinho
Quicas

Sonhadora disse...

Minha querida

Este poema é um doce embalar nas ondas da poesia.
Adorei e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora

Leninha disse...

Manu muito amada,vim novamente sentir o cheiro e o balanço do mar...e em cada vez que venho encontro mais festa,uma verdadeira celebração dos encantos do mar...
Mudei a configuração dos comentários no Tudoaver e no Sonhos e encantos,dê uma passadinha por lá e depois me conte,por favor,se melhorou.
Muito carinho e uma bela noite para ti.
Bjssssssss,Leninha

Beatriz Bragança disse...

Minha querida
No mar, projectamos tudo aquilo em que pensamos. Ele dá-nos uma calma indescritível.
Neste teu poema, inspirado no vaivém das águas,as metáforas, as personificações, enfim todos os recursos que usas para convenceres o teu interlocutor são de tal maneira belos, que apetece ler e ler sempre mais.
Obrigada por espalhares tanta Beleza.
Um beijinho
Beatriz

Beatriz Bragança disse...

Querida Manelinha
Eu havia de jurar que já tinha deixado aqui um comentário mas, como não o vejo, repito. Não serei capaz de dizer o mesmo, pois, ao ler-te, as sensações multiplicam-se; há sempre algo de novo, que antes me escapou.
Um pôr-do-sol, no mar, é sempre um momento muito poético! Parece que a Natureza festeja a ocasião e tu, «perdida na maré», continuas à espera.
As imagens, metáforas e personificações são de rara beleza. A Natureza fica mais bela, cantada por ti.
Um beijinho
Beatriz