SEGUIDORES

domingo, 11 de março de 2018

Invernia






 christine schloe


Chovia a noite na transparência
serena e doce do olhar do orvalho
confidenciando com a melodia  acre
de gotas sonoras.
Na cortina da bruma, ainda mais baça,
bailava o mistério  da invernia sedenta
de fome na procura insaciável da seiva
das palavras.
Nas mãos das árvores desprendem-se 
ocasos nascidos do ventre da terra.

O silêncio nasce no espaço da incerteza
do destino da manhã.
Iluminam-se corpos na caverna da noite
com vazios de ventos, de luzes difusas, 
prolongando-se em nevoeiros inquietos.

E os segredos noturnos dormem nas veias 
agitadas das árvores e no coração das pedras,
abrigadas na glorificação  da beleza
de sombras inquietas.

Manuela Barroso, in “Laços”- Dueto -




14 comentários:

Bob Bushell disse...

Beautiful illustration, and your poem, superb.

Graça Pires disse...

A noite. O lugar onde sobrevivem os poetas porque ela guarde-lhes todos os segredos e desejos... Apesar do frio. Apesar das sombras. Apesar do vento.
Um poema muito belo, Manuela.
Uma boa semana, minha Amiga.
Um beijo.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Manuela!
Ah! Os segredos da noite...
O silêncio nasce no espaço da incerteza...
Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm de paz e bem

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito! Grato pela partilha.
Bjs

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Mar Arável disse...

Há pedras que brilham
na memória das noites mais escuras
Bj

Manuel Veiga disse...

assim as invernias que são húmus e mistério
e prenunciam a "glorificação da beleza" no coração das coisas inertes!

gostei muito, Manuela

beijo

Teresa Almeida disse...

As tuas palavras, querida Manuela, são o perfume do bosque.
É um prazer percorrer os teus caminhos. Apetece-me parar - um pouco - na eloquência do orvalho.

Beijinho, minha amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

a noite e seus mistérios
seu frio
seu medo
suas recordações
a noite...abrigo dos poetas
em completo desassossego ou inspiração...

belo momento de poesia com palavras cuidadas e elegantes

bom fim de semana.

beijinhos

:)

Maria Rodrigues disse...

A noite com os seus segredos e os seus mistérios.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Emília Pinto disse...

Dias de Invernia que temos tido apesar dos esforços da Primavera, tentando atravessar os ventos que fortemente sopram e assim iluminar os nossos dias com a beleza das flores, o canto do pássaros e o verde das árvores . E as noites frias chegam , como sempre, com o seu silêncio apenas quebrado pelo barulho das gotas de chuva caindo nos telhados; como sempre também, nos proporciona a noite momentos únicos de reflexão, de interessantes dialogos com o nosso eu, desvendando tantos segredos lá guardados, reavivando memórias do passado, algumas delas afastando o sono que tanto ansiavamos . Mas ele acaba por chegar e lentamente lá vamos nós fechando os olhos, afastando pensamentos, deixando entrar aquele silêncio no espaço da incerteza de um novo amanhecer. Se ele aparecer, será diferente, com outros momentos, outros ventos, outra noite, quem sabe... de invernia outra vez. Mas o sol chegará e a Primavera também. Um beijinho, querida Manuela e um bom fim de semana. Como sempre uma beleza esta tua poesia. Obrigada pelo momento caloroso, nesta manhã fria.
Emilia

Majo Dutra disse...

Gostei do teu magnífico poema
em que relatas os teus sentires
numa noite de invernia.
Grata pela leitura.
Beijinho, Manuela.
~~~

Ana Freire disse...

Quando as invernias interiores... são tão perfeitamente ilustradas... pela inspiração e profundidade das suas palavras, Manuela...
Mais um trabalho de excepção, que é sempre um imenso prazer, descobrir por aqui...
Beijinho
Ana

Agostinho disse...

Nesta invernia que li
o silêncio fala mais alto
no pulsar profundo
que atravessa a natureza

Como água que somos
nas vidraças da existência
pressente-se a ressonância obscura
da noite

Boa semana.

Toninho disse...

Se na noite bailam as criaturas, é certo que também vagam palavras que inspiram os poetas e se aglutinam numa bela evolução na construção de sentimentos vários e belos sobrepondo os vazios e os estados melancólicos. Só a poesia tem esta arte.
Linda inspiração Manuela que cabe tão bem no nosso Outono vigente.
Beijo
Vou agora ver o que tem de doçura no noutro blog seu.
Bom sempre vir aqui e deliciar nestas inspirações.