SEGUIDORES

domingo, 15 de janeiro de 2017

Manhã


Acordou a manhã com os recortes distantes
do cinzel dos abetos.
nem um cão vadio mastigava o orvalho,
nem o cheiro do pólen ruminava as sombras escondidas
nas portas da aurora
mas tudo se calava num mutismo vagabundo,
num amarelo corroído pelo tempo.

o vento permanecia enjaulado
em grades sinistras
em ausências indecisas.
os ecos persistentes da manhã 
insistiam acordar a alegria que longa no vale ,

ainda dormia

Manuela Barroso, Eu Poético Vll


13 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito. Poema muitíssimo interessante a cada palavra.
Uma boa semana.
Abraço

Emília Pinto disse...

Ai as manhãs, Manuela..." acordam " frias depois de uma noite gélida, mas acordam sempre e nós pedimos a oportunidade de com elas despertarmos, apesar de não sermos capazes de vislumbrar nada por trás da neblina que nos esconde o céu. O sol não está " enjaulado" e aparece-nos timido dando-nos luz bastante para aquecer o nosso coração; há frio, muito frio, há neve que não derrete em corações sempre gelados. Nos vales a alegria também dorme, esperando que o vento deixe escapar da jaula pelo menos uma brisa que a desperte; têm saudades do cheiro dos " pólens, do chilrear dos pássaros, das flores e do verde que o frio" amareleceu "; desejam que o " mutismo" dê lugar aos barulhinhos de cada ser vivente procurando o sol para renascerem numa manhã diferente, mais aconchegante, mas calorosa. Mas essa manhã virá, o sol aparecerá com força, derretendodo a neve e também o vento se libertará; é sempre assim neste ciclo maravilhoso da natureza, será sempre assim... um dia a seguir ao outro, ora com frio, ora com o sol brilhante, com brisas serenas ou com ventos uivantes mostrando a sua força. Neste ciclo estamos nós com amanheceres diferentes também; frio fora, gelo na alma, coração palpitando de alegrias, corações sangrando de dores; a vida abençoa-nos com manhãs diferentes, cada uma trazendo sentimentos e emoções distintas, mas diferentes estamos nós também a cada dia que começa e além de lhe agradecer, creio que precisamos de lhe pedir que nos dê sempre coragem para podermos enfrentar as agruras dos dias frios e ventosos que sempre aparecem. É isso, querida Manuela, que te desejo, que a saúde e a coragem não te faltem, pois, de certeza, precisamos muito das duas. Obrigada, amiga por mais este momento de bela poesia ; da " tua manhã " fui construindo outras manhãs, saltando de metáforas em metáfora; sem pedir licença entrei , li, refleti
E lá fui... como é meu costume e como tu também sabes. Um abraço caloroso nesta manhã bastante fria.
Emilia

Ana Bailune disse...

Lindo texto, Manuela. Acho que seria um excelente começo - uma introdução - para um romance.

Elvira Carvalho disse...

Fico sempre encantada com a sua poesia.
Um abraço e uma boa semana

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, dias frios que incomodam de tal modo que nem um cães vadios mastigam o orvalho, parabéns para a poeta pelo lindo poema.
AG

Ailime disse...

Boa noite Manuela,
Um poema magnífico.
Aprecio muito o seu estilo poético.
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime


Ana Freire disse...

Uma manhã despertando sem pressas... como que apreciando o seu acordar...
Lindíssimo e inspirado trabalho, Manuela! Como sempre...
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Teresa Almeida disse...

Não se vê um cão vadio a mastigar o orvalho, mas espreguiça-se a manhã na seda da palavra cristalina.
Beijo.

Cristina Cebola disse...

Adorei o poema, partilhado em outra latitude...
e através dele cheguei aqui!
Gostei muito do que li, e se me permitir, voltarei mais vezes...

Beijinho e bom domingo Manuela.

Odete Ferreira disse...

Esta é a manhã "física" pelos meus lados, datada em nevoeiros densos. Solitária, quase perdida na sua própria bruma. Mas como fica encantadora e sedutora nos teus versos! E é preciso tê-la vivido para assim a homenagear.
BJ, Manuela 💓

Jaime Portela disse...

Há amanheceres assim...
Mais um excelente poema, gostei imenso.
Manuela, tem uma boa semana.
Beijo.

Maria Rodrigues disse...

Uma manhã silenciosa e nostálgica.
Belíssimo poema
Beijinhos
Maria

Aleatoriamente disse...

O tempo acorda as manhãs em seu tom.
Se faz estação de seu próprio gosto.
Tudo dentro do prazo conforme o Criador consentiu.
Na relva fria passeia as palavras de uma poetisa, e num facho de luz nos molda o olhar.

Lindo poema anjo azul.
EAT