SEGUIDORES

domingo, 24 de janeiro de 2016

Trago





Trago nos olhos a alegria da tarde.
Florescem violinos no silêncio harmonioso dos teus lábios
recortados pela suavidade da melodia.
Enfeito os cabelos de orvalho com grinaldas de glicínias
e atravesso densos juncais à procura do fogo do crepúsculo
consumindo-se na noite.
Quero a mão das estrelas sem lua.
Noite com velas.
Disperso-me na escuridão e quero o voo plano da águia
com saudade das alturas contornando o assombro dos abismos.

Manuela Barroso, "Eu Poético"




11 comentários:

Evanir disse...

Sei que minha ausência tem afastado pessoas
tão querida por mim como você.
Concordo esta cada dia mais difícil manter
um blog no ar.
De verdade só quem gosta muito e fez amizades
que nenhuma ausência separa ou nos deixa esquecer.
A 11 ano entrava acanhada com meu primeiro
blog no ar.
Fonte de Amor..
Eu mantenho todos meus blogs no ar muitos
eu tirei do ar ,
mas aquele que foi o primeiro me acompanha pela vida afora.
Sinto saudades das amizades que fiz
nesses 11 anos.
Mas hoje venho para te agradecer seu carinho
que tanto significa para mim.
Peço desculpas por hoje estar mais ausente
muitas coisas também mudou para mim.
Veio a dor e mesmo com dificuldade ainda tento
prosseguir.
Que Deus abençoe você em sua jornada.
Um feliz Domingo.
Deixo um beijo carinhoso
e o convite para me visitar.
E se for do seu gosto deixei mimo
na postagem fique a vontade para levar.
Abraços fraternos e eternos.
Evanir..
Minha amiga.
Eu nunca te esqueço sera sempre a poetisa mais doce que conheci.

Gracita disse...

Querida Manuela
Teu belíssimo poema traz as nuances do crepúsculo salpicado pelo brilho intenso das estrelas que refletem a beleza das glicínias que encantam nosso olhar e somos absorvidos pelo lirismo sensacional dos teus versos
Uma feliz semana
Beijos e sorrisos

Jaime Portela disse...

A "mão das estrelas sem lua" é muito mais íntima...
Excelente poema, minha amiga, gostei imenso.
Boa semana, Manuela.
Beijo.

Ana Freire disse...

O voo da águia... ser superior a... sombras ou abismos... e saber estar, mesmo que só, mais perto das estrelas...
Todos devemos saber trazer em nós, essa vontade...
Um poema maravilhoso, Manuela! E que nos puxa lá bem para cima... lá para onde voam as águias... para uma superioridade... interior...
Beijinhos! Boa semana!
Ana

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema muito belo, e que transmite alegria e liberdade...
um beijo
:)

Maria Rodrigues disse...

E trás no coração estrelas de poesia.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria

Mar Arável disse...

Corpos com asas
pássaros do alto

Bj

Emília Pinto disse...

Trago agora mais alegria no meus olhos...mais serenidade no coração e na alma a nostalgia da saudade daqueles dois que do outro lado ficaram; no silêncio harmonioso das suas almas quietas estão felizes, muitas vezes de mãos dadas e olhar perdido na paisagem do mundinho que foram obrigados a criar só para eles. Eu...Nós olhamos para eles impotentes, juntamos o nosso olhar ao deles e ali ficamos recordando outros tempos, tempos em que carinhosamente eram eles que entravam no nosso mundo tirando do caminho todas as pedras que conseguiam
" Quero a mão das estrelas " naquela casa para que disperse a escuridão que teimosamente entra por mais que o sol seja muito e invada cada canto. Estou de volta, querida amiga, com a consciência de que dei o meu melhor e de que de facto, estive onde tinha de estar. A vida mais uma vez foi benevolente e me permitiu " correr " para outras vidas que, aflitas me chamavam. Muito obrigada, Manuela e aqui te deixo um grande abraço e os meus sinceros desejos de que esteja tudo bem contigo e com os teus. Até breve

Emília


AC disse...

A envolvência plena...
Muito belo, Manuela.

Um beijinho :)

Maria Rodrigues disse...

Um voo maravilhoso de poesia.
Belíssimo poema.
Beijinhos
Maria

Mariazita disse...

Querida amiga Manuela
Lindo, este teu poema, exaltando a liberdade da águia rasando os abismos, no seu voo imponente.

Desejo-te um bom fim de semana e um alegre Carnaval.

Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS