SEGUIDORES

domingo, 30 de novembro de 2014

Um adeus



 Imagem da net
  
 HOJE sinto as dores da partida naquelas vidraças
 turvas, engolindo os olhos daquela tarde de outono.
sinto o frio no peito e o negro da laje sombria
onde não te encontras 
escolheste  a pureza do fogo onde não passeiam
larvas no breu da terra
sinto o peso da ausência no fogo, reduzindo a pó
tudo o que tiveste 
a cinza deixará para sempre a imortalidade da tua
essência naquilo que foste. que quiseste

desceste num trago lento, algures no caminho do adeus.
fecha-se a boca do chão. ficou o nada no  vazio da tarde
em redemoinhos de folhas na dispersão da areia 

tudo se apagou

renascerão as memórias
em tudo o que se semeia

hoje sinto.


Manuela Barroso, “Eu PoéticoVI”

  



18 comentários:

Bob Bushell disse...

You are a poet, love it.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Como seria, sem a memória.. a saudade, a poesia ?

Gracita disse...

Minha linda amiga poetisa
Quando se semeia boas sementes teremos lindas memórias para recordar e deixar enternecido o coração. Deslumbrante esta sua prosa como tudo que delineias com um lirismo espetacular.
Beijos da amiga
Gracita

Toninho disse...

Em nossas memorias repousam nossas tantas emoções e são elas que inspiram os momentos de criação.
Uma bela semana Manuela.
Abraços com carinho amiga
Beijo

ツ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ツ disse...

·.✿✿ミ
Merci pour ce magnifique partage chère Manuela !!!!

Bon début de semaine

Bises d'Asie jusqu'à toi 。♫° ·.
✿⊱·.✿✿ミ

SOL da Esteva disse...

As memórias são o elo de ligação entre o sentir e o sentimento.
A semente sempre germina naalegria da renovação.
Profundo sentir.


Beijos


SOL

Nilson Barcelli disse...

Do fogo, ficam as cinzas.
Das cinzas, ficam as memórias do que formos em vida.
Apesar do tema, é um excelente poema. Como sempre, aliás.
Querida amiga Manuela, tem uma boa semana.
Beijo.

Nina Filipe disse...

Minha querida Manela, não vinha aqui já faz tempo mas, hoje neste tão lindo poema me pareceu que alguém muito querido se foi.
Certo que deixou um vazio no coração a quem amou , mas meu amor a vida não acaba, tenho para mim e não devo de estar enganada que quem vai, vai, muito mais feliz.
Uma pessoa só morre quando deixa de ser lembrada, e morrer não é nada é só o virar da esquina.
Tenha uma linda semana cheia de amor e luz no coração, beijinhos meu anjo.

Teresa Almeida disse...

A dor da ausência tecida em partitura de saudade. Vazio semeado de memórias vindas de uma sementeira recheada de prazer.
Magistral, minha querida.
Mil beijos.

Smareis disse...

Oi Manuela!

É Encantador!

Quando você escreve, parece que por vezes toca o céu. É assim que sinto quanto te leio...Não posso comentar. Só admirar.
Um beijo de profunda amizade, e um punhado de sorriso.
Ótima semana!

Rui - Olhar d'Ouro disse...

E as memórias é o que de melhor por vezes podemos ter depois de um adeus...
Lindo poema Manuela!
Bjs

Olinda Melo disse...


As dores da partida!Neste seu poema estão espelhados toda a perda e desalento de um momento que pode significar a vida toda.

Obrigada, cara Manuela.

Bj

Olinda

Magia da Inês disse...

♪♬° ·.Resta a saudade e a lembrança dos bons momentos!...

Ótimo domingo!!!
Beijinhos. ♪♬°
·.·.✿✿ミ

Maria Rodrigues disse...

Um adeus aperta a alma e dilacera o coração.
Tão nostálgico e tão belo.
Beijinhos
Maria

. intemporal . disse...

.

.

. dizem . (por aí) . que não há coincidências . mas o facto é . e "coincidentemente" . que tenho de momento . publicadas umas fotografias no meu blogue . que mais.não.são . do que a imagética destes versos . Seus .

.

.

"HOJE sinto as dores da partida naquelas vidraças
turvas, engolindo os olhos daquela tarde de outono."

.

. hoje . :) . a coincidir com a beleza deste poema . Seu . :) .

.

. um beijo .

.

.

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente poema....
Cumprimentos

ツ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ツ disse...

(^‿^)✿

Coucou chère Manuela !
J'aime tout ce que tu partages avec nous.
C'est BEAU !
MERCI beaucoup !!!!

GROS BISOUS vers toi et bonne continuation !!!!

Emília Pinto disse...

As dores da partida vais senti-las hoje, amanhã e em todos os dias que a vida te conceder; dores que se vão atenuando com o passar do tempo e se transformam em saudade que também dói e aperta`, às vezes numa angústia enorme. Ainda não sei como são essas dores de partidas definitivas; a vida tem-me concedido essa graça, mas só de imaginá-las nos outros o meu coração fica pequeno e o frio percorre todo o meu interior. Mas, a " essência daquilo que esse ser amado foi e quis ficará eterno nas tuas memórias. E, com tanta luz espalhada pelas ruas, tantos cânticos, tanta correria para os preparativos desta noite natalícia a dor da ausência será mais forte, mas...naquele lugarzinho, à mesa onde sentava com toda a família estará uma alma pedindo sorrisos gargalhadas e muito amor; com certeza, Manuela que todos se esforçarão para que ele de uma maneira diferente, com certeza mais sublime participe da alegria da família. É isso o que te desejo, querida amiga, alegria para os que estão , pois será uma maneira de homenagear aqueles que já se foram e que nos querem ver felizes.. Beijinhos e muito obrigada pelo carinho recebido. Emília