SEGUIDORES

sábado, 1 de fevereiro de 2014

O Silêncio...



O silêncio escorre pelos ramos nostálgicos da bruma
Bebo este nevoeiro, perfuro-o com os meus olhos e
não te vejo nas cordas da luz, só no painel do meu
pensamento
Foges do sol das minhas mãos procurando a sombra
dos dedos
Hoje não tenho pressa
Apetece-me a tontura da luz ao bolores húmidos do
rosto das árvores
Deixa que os meus olhos pasmem no repouso cin-
zento da hibernação
Deixa que as palavras sejam voz muda de gestos
que sufocam de resignação
Hoje não quero o lume dos corpos incandescentes
perturbando frutos da memória
Deixa-me abandonar o deserto da saudade e viver
o sonho que ainda lateja neste arco-íris  morno, lento
Hoje não tenho pressa
Apetece-me caminhar na pele húmida das lajes
e pisar o vendaval verde da espuma do musgo
Apetece-me ser longa e longe
Apetece-me viajar na pele do meu eu porque ainda
não sei se me conheço
Não fujo de ti. Espero, porque não tenho pressa.
Ainda quero ver o teu rosto na pele da água e
penetrar no insondável do teu sorriso 
Deixa que eu  mergulhe no poente da tua fonte
Hoje
apetece-me interromper o voo e pousar de novo
nas asas dos teus braços
Apetece-me
Hoje

Manuela Barroso, in " Eu Poético VI"
Imagem: net

                                                                               
          

34 comentários:

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Há alturas na vida...momentos difíceis com decisões urgentes a serem tomadas em que temos de esquecer a " pressa...de algum modo saciar a fome e esquecer o frio lá fora e dentro de nós. Estou num momento em que tenho de me acalmar...tentar uma harmonia difícil na complexidade das minhas das emoções; tenho que " ser longa e longe " tenho que deixar que " as palavras sejam voz muda nos gestos " que me custam a aceitar, mas que a consciência me exige que
releve. Não posso fugir, por isso não preciso ter pressa. Tenho que, serena, " viajar na pele do meu eu ", porque ainda não sei o que fazer; o que me apetece hoje eu sei, mas não posso dizer " Apetece-me ...hoje; terei, sem pressa...sem fome e sem frio, de dizer : tem que ser...é isto que vou fazer! No silêncio das noites, depois do frio dos dias...a decisão chegará...como sempre ditada pelo coração.
É, Manuela...o silêncio aquieta e
nessa quietude conseguimos " interromper o voo e pousar de novo na realidade das opções que temos de fazer. Vou conseguir, com certeza. Beijinhos e obrigada por aceitares mais este desabafo do meu Eu, agora bastante inquieto. Beijinhos, querida amiga.
Emília

Joaninha Musical disse...

De vez em quando o silencio faz falta,aliás,como tudo na vida!! É bom ouvir musica,é bom ouvir os ruidos das crianças mas tambem é maravilhoso termos um pouco de paz e silencio nas nossas vidas!! Desejo-te um fantástico mês de fevereiro,tudo de bom para ti!! Muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

O tempo das maçãs disse...

Poesia maravilhosa, Manu, sobre esse momento de introspecção, porque, até para compreendermos o outro, precisamos compreender a nós próprios primeiro...

Beijinhos.



LUZ disse...

Olá, querida Manelinha!

Depois de eu vir dos seus "SABORES", apresenta-me um poema destes, onde TUDO apetece.

TENHA DÓ DE MIM, PORQUE, EU, POR VEZES, NÃO SEI, OU MELHOR, NÃO QUERO PENSAR. QUERO-ME "ESTENDER" NO "LEITOS", QUANDO E ONDE ME APETECER.

Então, este "SILÊNCIO" está cheio de murmúrios de vontades, que expressa, claramente, no corpo, na pele, e ainda pede quietude?

Dê-se, em silêncio ou não, mas dê-se, porque LHE APETECE. Não são necessárias justificações, está "escrito".

O ATO DE DOAR, DAR, CEDER E APETECER JÁ É, POR SI PRÓPRIO, COMPLETO E NÃO QUESTIONÁVEL.

Excelente semana, et BON APPÉTIT!

Beijinhos, com apreço.

Novo poema, no "Luzes e Luares". Obrigada!

Fernando Filipe disse...

Olá minha querida Manela, só hoje vi o seu comentário peço imensa desculpa.
Sabe meu este blogue eu fiz para o meu marido mas ele não sabe mexer nele, então daí eu ainda não o ter visto...mas como diz o ditado mais vale tarde que nunca.
Aqui ficam as minhas desculpas que espero serem aceites, deixo os meus beijinhos de luz e paz na alma
Nina Filipe.

Nilson Barcelli disse...

Fico mudo perante tanto talento poético.
Excelente, é o que me ocorre dizer acerca deste teu poema.
Manuela, tem uma boa semana.
Beijo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Manuela; excelente poema....
Cumprimentos

lis disse...

Ah Manuela é tudo tão lindo que nao tenho palavras , só posso dar meus parabéns pela linda poeta que és!
Muito muito lindo!
_ estou a interromper o pouso para receber o abraço dos seus braços rs
fica bem
bons dias

Duarte disse...

Tanto apetecer acaba por agradar.
Metáforas que deixam perceber essa sensibilidade tão à flor da pele. Esta que se transforma em tudo aquilo que se vai escapando através dos dedos, nas asas da saudade. Até que, por fim, esse reencontro: que bom!
Aquele abraço amigo

Armando Sena disse...

Pressa para quê se é tão bom viver as horas simples.
Belo poema.
bj

ONG ALERTA disse...

Muito lindo...
Beijo Lisette.

.•♫•. Nancy .•♫•. disse...

❀✻❀ ✰ ✰ ✰ ❀✻❀
Un petit bonjour chez toi chère Manuela !

Que cette publication est BELLE ! MERCI !!!!

BISOUS à toi en direct de l'autre bout du monde !
Bonne continuation et meilleures pensées amicales
❀✻❀ ✰ ✰ ✰ ❀✻❀

Evanir disse...

Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria, e principalmente no Amor.
Aí com certeza um dia eu, a Felicidade, baterei em sua porta.
Tenha Tempo para os seus sonhos, eles conduzem sua carruagem para as estrelas.
Tenha FÈ em DEUS!
E não esqueça, SORRIA sempre para a vida.
O sei sorriso pode alegrar a vida dos que te cercam,
e a minha também.
Deus abençoe poderosamente sua vida
e nossa amizade também.
Foi com imenso carinho que deixei
dois mimos na postagem.
Um deles é muito importante para mim
onde a frase é ..Jesus é o Caminho.
E uma oferta de amor.
Beijos no coração carinhos na alma.
Evanir..
Até minha alma ficou em silêncio amada amiga .

✿ chica disse...

E após re ler, apetece-me apenas te parabenizar e dize que és grande, inteira, poetisa completa! Vale cada palavra aqui! beijos, tuuuuuuudo de bom,obrigadão sempre!chica

Graça Pires disse...

Aqui, voa-se nas palavras sensíveis do poema.Muito belo.
Beijo.

tecas disse...

Li e reli! « Hoje apetece-me» ligar as palavras num abraço de magia pela beleza espalhada neste poema sublime.
O silêncio transforma-se em música que entra na alma do leitor, suavemente e as crianças são flores no jardim da sua poesia, querida Manelinha.
Beijinhos, um aplauso e...muitas flores.

Beatriz Bragança disse...

Minha querida
Tenho a certeza de que vais conseguir aquilo que te apetece.
Quem podera resistir a tanta beleza poetica?!Tanta magia! Tanto encantamento!
Muitos parabens.
Beijinho
Beatriz

. intemporal . disse...

.

.

. o silêncio e a opacidade do cinzento . é . por vezes . semente e raiz . do poema . fulgente .

.

. um beijo meu .

.

.

Bob Bushell disse...

Beautiful poem Manuela.

Maria Rodrigues disse...

Um silêncio que nos envolve e que nos toca a alma.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria

Nilson Barcelli disse...

Manuela, reli... mas como já comentei, desejo "apenas" que tenhas uma boa semana.
Beijo.

SOL da Esteva disse...

Hoje, Manuela, eu sinto o teu sentir!... Apetece-me viver o teu Poema por dentro,"[...]apetece-me interromper o voo e pousar [...]".
Hoje e ... sempre.
Maravilha!


Beijos


SOL

LUZ disse...

Olá, querida Manelinha!

Como está?

Não lhe venho desejar bom fim de semana, porque ainda faltam dois dias, e não é nosso hábito, diga-se, em abono da verdade, nem fazer um comentário diferente, esquemático.

Estive nas "Reflexões Floridas", mesmo agora, e a janelinha dos comentários (vê-se mesmo que sou de Letras. "Aquilo", chama-se, acho eu, pop-up) não abriu. Então, pensei, vou tentar chegar a outra "janela", e aqui estou.

Gostei muito do que escreveu (nunca lhe disse, que a menina escreve bem, ao meu gosto, não)? Então, está na altura de o fazer: a Manelinha escreve, lindamente.

Sou alentejana, e embora prefira as casas branquinhas e terenos planos, não deixo de reconhecer a beleza daquelas fotografias.

Adorei o seu texto, TODO, e aquela do rímel démodé, está demais.

CONCLUINDO: VIVER NO CAMPO É UM DESCANSO, mas eu sou citadina, é verdade, querida amiga.

Dias felizes, e onde irei eu roubar sol, luz e algum calor? Não aguento mais este estado de coisas, este tempo. Ai, se eu não tivesse profissão, eu emigrava, já amanhã. Mas para onde? Neste contexto, nem a imaginação me safa.

Beijinhos, com estima.

Olinda Melo disse...


Ser longa e longe...
E saborear momentos de abandono na procura do eu.
Depois voltar, livre de amarras, procurando repouso no único sítio
que acalma o coração: 'nas asas dos teus braços.

Belo poema, querida Manuela.

Beijos

Olinda

Olinda Melo disse...


Ser longa e longe...
E saborear momentos de abandono na procura do eu.
Depois voltar, livre de amarras, procurando repouso no único sítio
que acalma o coração: 'nas asas dos teus braços.

Belo poema, querida Manuela.

Beijos

Olinda

Olinda Melo disse...


Ser longa e longe...
E saborear momentos de abandono na procura do eu.
Depois voltar, livre de amarras, procurando repouso no único sítio
que acalma o coração: 'nas asas dos teus braços.

Belo poema, querida Manuela.

Beijos

Olinda

Pérola disse...

Não foges de ninguém, apenas te queres encontrar.
Uma pausa para a poesia do interior.

Uns apetites muito saudáveis.

Toma o teu tempo e mergulha na espuma do teu ser.

Beijos

Nilson Barcelli disse...

Fico em silêncio, a ler-te, à espera de novo post...
Manuela, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Manuela

Por vezes apenas desejamos ter a paz de não pensar...a calma que só o tempo nos traz e a felicidade de apenas estar.
Como sempre as tuas palavras tocam a minha alma profundamente, porque sinto assim.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Manuela. Conhecendo o teu blog, amando as poesias e já seguindo.
Parabéns pelo teu espaço que transborda poesia!
Eu me senti emocionada em cada estrofe que eu lia, tamanha a força e sensibilidade poética.
Parabéns.
Beijos na alma.



Estou a convite da escritora Rosa Mattos, promovendo o sorteio do romance sobrenatural dela chamado "PAREDES VIVAS", no meu blog "CARINHOS EM SELOS".

http://carinhosemselosdosamigos.blogspot.com.br/

Gostaria que lesse a postagem e participasse. É a coisa mais fácil que tem.
Boa sorte a você e a todos que lerem e participarem deixando o seu comentário!

ღ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ღ disse...

(•̃‿•̃)
❀ Bonjour chère Manuela !
J'aime beaucoup venir lire ce que tu écris. C'est BEAU !!!!
GROS BISOUS
et bonne journée ღ !!!!

Smareis disse...

Oi Manuzinha do coração! Tudo bem!
Quantas saudades!
Ancorando meu barquinho aqui, depois de um tempinho ausente.
Admirável o que escreveu, suas palavras me tocam e curvo em silêncio encantada com seu “eu” poético. Obrigada pela leitura!
Beijos e uma ótima semana!

Olinda Melo disse...


Cara Manuela

Passando por aqui para reler este tão lindo poema.

Bjs

Olinda

Linda disse...

Lovely poem! Sometimes it's good to be reminded that you don't have to hurry all the time.