SEGUIDORES

sexta-feira, 15 de março de 2013

O Largo.


Seria um prazer ter a vossa companhia


 Mais pormenores no facebook
  

 Imagem da net

...Chão pelado de alegrias nas areias movediças nos passos das crianças.
Costas vergadas, doridas pelos campos pingando o verde semeado com
as nascentes de maio.
Os lábios abriam-se ao sol e ao sorriso das violetas e dos mantrastes ferti-
lizando infâncias na felicidade do bulício das vozes cristalinas no largo re-
dondo da curva da estrada.
Não imaginas a música distante das baladas inacabadas das crianças que
ainda ecoa no adro do tempo interrompendo memórias na saudade desta in-
fância distante!
Não ouço o ruído dos ponteiros do relógio do dia e da noite. Apenas a ausên-
cia do cristal nos olhos das águas que se perdiam nos regatos em movimento.
No terreno pelado nascem agora saudades nas ervas rasteiras com medo de
nascer.
Passeia agora um esquecimento vagabundo no vento que cobre os líquenes nos
muros desertos e solitários da curva mais larga.
Em que parte do espaço se guardam estes lábios verdes de alegria e mel?
Onde está o tempo anunciando novos anoiteceres e lamparinas que alumi-
am as noites?
Agora na curva da estrada abandonada fica a areia seca, infértil dormindo
na solidão do pó esperando novas sementes .
Da minha vidraça  mais baça, demoro a nostalgia que faz ninho nos galhos
do peito donde pendem os cachos pretos caindo dos olhos em lágrimas de uvas
no cálice verde de Baco.
Fotografo a saudade nos montes longos deitando-se preguiçosos no vale e no
fumo da tarde.
A janela fecha-se guardando retinas no baú do coração.
Eu voltei.
O tempo, não!

Manuela Barroso

  

51 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O tempo volta, vestido de saudade!
Lindo texto, carregadinho de poesia...
Bom final de semana!
Afetuoso abraço.

✿ chica disse...

Esplêndido! Muito lindo!! E o danado do tempo, esse, não volta mesmo!!! beijos,lindo fds! chica

Maria Emilia Moreira disse...

Boa noite Manuela!
Não tenho palavras!
Fiquei sem fôlego!...que dizer desta prosa poética inspirada e magnífica que nos conduz pela curva da estrada do tempo que passou e deixou marcas profundas nas nossas vidas?!
Que dizer?! Que dizer?! Simplesmente admirável!
Bom fim de semana. Beijos.
M. Emília

SOL da Esteva disse...

Querida Amiga

O Largo onde calcorreamos a Vida, crescemos nas alegrias e tristezas, vivemos sonhos que já se esvairam.
Contudo, o mesmo Largo, sempre igual e diferente, fica e nós vamo-nos afastando dele, necessáriamente...
Um belíssimo texto a representar a nossa passagem.


Beijos



SOL

Mônica disse...

Lindo Manuela
Eu voltei!O tempo nao!
Muitas vezes eu volto a alguns cheiros de minha infancia mas o tempo esta aqui.
Com muito carinho sua amiga Monica que esta com preguiça de escrever

Pérola disse...

O tempo é carrasco e impiedoso.
Nunca dá tréguas ou aguarda por nós.nem 2ºas oportunidades.

Somos nós os gestores de cada instante. A sabedoria é saber aproveitar cada momento.

Beijinho

Sandra Subtil disse...

Que texto magnífico, este Largo da vida, da sorte, do destino, do tempo que passa e não se comove.
Beijinho

Olinda Melo disse...


Cara Manuela

As palavras aqui ganharam vida própria indo buscar significações no fundo dos tempos e trazendo-as de volta ao nosso quotidiano.
Trabalho poético, profundo e esmagador. Belo!!!

Bjs

Olinda

lis disse...

Oi Manu
Tão bonito _uma prosa cheia de ternura,e o tempo nos abate muitas vezes.
Tão linda seu lirismo seja na prosa ou no verso,
beijinhos e minhas saudades
_estou me refazendo de uma gripe forte, lolo logo volto.
bom domingo kiridíssima

.•♫•. Nancy .•♫•. disse...

°º✿✿°º✿✿°º✿✿°º✿✿º°
Un petit coucou amical chez toi Manuela !!!

Ta poésie est SUPERBE et la photo de la petite fille est très jolie aussi !

GROSSES BISES ensoleillées d'Asie
et bon dimanche !!!!
°º✿✿°º✿✿°º✿✿°º✿✿º°

Rui - Olhar d'Ouro disse...

Palavras maravilhosamente encantadoras!
Parabéns!

Lunna Guedes disse...

Tenho pra mim minha cara que sempre que fechados os olhos e fazemos meia volta, o tempo nos acompanha de alguma maneira. rs
Uma pena eu ainda não estar por essas "bandas" a tempo de participar do evento que divulgas, ficará para uma próxima oportunidade. Meu carinho a ti. bacio

LUZ disse...

Olá, querida Manuela!

Como tem passado?
Isto sim, é que é prosa poética, não a que eu escrevo.

Se a analisar com olhos de Profesora, devo atribuir-lhe a classificação de 19 valores, e não 20, porque perfeito, só Deus, como eu digo aos meus alunos, mas a aluna, aqui, sou eu. Eu limito-me a aprender aquilo que a mente da escritora e poetisa, Manuela Barroso, tão bem "canta" e encanta.

Parece que se abre nas suas lembranças uma janela e daí vê e recorda tudo.

Uma das coisas que mais me seduz, naquilo que escreve, é o cheiro e o sabor, que põe nas palavras. Há açucenas, jasmins, amoras silvestres e rebentos campestres, por toda a parte, na sua escrita.

Há quase sempre lembranças de amores antigos, situações passadas, que ainda hoje ecoam na sua alma, e que a fazem escrever tão bem e, até um pouco amrgurada, mas não pesarosa, "desgraçada".

O tempo não volta, dizem os que não amam. Quem sabe se ele não voltará?
A Manuela, já aí está.

Boa semana.
Beijos da Luz.

Afetos e Cumplicidades

elvira carvalho disse...

Mais um belíssimo texto eivado de poesia.
O tempo não volta, porque ele sempre está connosco. Ora cara, ora coroa, ele é sempre o mesmo. Nós é que somos diferentes.
Um abraço e uma boa semana

R. R. Barcellos disse...

Onde quer que vamos, temos que levar essa pesada mochila... cujo peso aumenta dia a dia.
Beijos.

Maria selma disse...

Oi Manuela
Lindo texto cheio de ternura,
Manuela ,estou participando de uma brincadeira no c.v.c do amigo Dado e vim pedir uma gentileza sua,pode ser?Você pode ir até o c.v.c e dizer no comentário que a dupla SELMA e LI foram as primeiras que vieram visitá-la....é que só vale ponto a dupla que chegar primeiro
Só será valido comentar no mural do c.v.c
Conto com você amiga,muito grata!
Este é o link: http://dado.pag.zip.net/
Beijos de luz

NÉ FONTE disse...

O tempo é implacável. Lindo, lindo, como sempre.
beijinhos, amiga.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

" Eu voltei " agora àquele largo; volto muitas vezes. É mesmo um bonito largo...onde a casa ainda permanece... permanecem as escadas onde aquela boneca se desfez com a chuva; permanecem os pequenos campos onde brincava com os brinquedos oferecidos pela natureza. Está lá tudo, mas não estou eu...não estão as pessoas que enchiam de ruído esse largo; as ervas daninhas são as únicas que se atrevem a cobrir o " terreno pelado "...vez ou outra uma florzinha campestre mais corajosa aparece, mas logo se vai triste com saudade de outros tempos, tempos em que o terreno cuidado se enchia dos mais variados verdes. O meu largo continua lá...a minha casa lá continua, bem pertinho do agora meu lugar; a minha presença lá seria possível, mas...não... só em pensamento muitas vezes, porque este ainda me permite ver tudo muito bonito...muito colorido; ainda me permite ouvir as gostosas gargalhadas,os deliciosos cantares dos que transformavam o terreno pelado em campos verdejantes. Um tempo continua lá....outro aqui está e aqui continua. Dois tempos diferentes, mas ambos nossos, Manuela. E que bom que é ter dois tempos...um para recordar tempos bons, outros para viver bons tempos; sei que não são bons, mas sei que temos de os fazer bons. Excelente, Manuela e obrigada por me permitires mais uma vez voltar ao meu largo.. Um beijinho e espero que tenhas sempre a oportunidade de voltares ao teu largo
Emília

Maria selma disse...

Oi amiga,procurei no mural do c.v.c e não vi seu comentário....
Só pode comentar no "mural" do c.v.c caso comente onde tá escrito comentário é anulado.Você pode voltar lá novamente?muito graa mesmo SELMA e LI
Beijinhos amiga

Maria selma disse...

Oi amiga,boa tarde,agora sim deu tudo certo ,muito grata pela gentileza
Uma tarde maravilhosa,
Beijos de luz

NADJINHA disse...

Olá muito prazer vim conhecer vc Manuela ..e seu lindo espaço..adorei o texto cheio de muita ternura...bem vim tb do Cvc do amigo Dado..estamos brincando kkk mas já vi que a amiguxinha Selminha veio na minha frente kkkkkkk e tinha que ser a primeira vir a pedir que fale que estivemos aqui mas ñ perdi a minha viagem ...adorei seu espaço ..feliz dia do blogueirinho ..fiz um sêlinho para vc ..beijus feliz semaninha fuiiii aparece tá???

CIDINHA PAULO disse...

Boa noite Manuela!
Venho do CVC onde participo de uma brincadeira e estou tendo a honra de conhecer este espaço maravilhoso. Vc escreve muito bem. minha nova amiga, peço a gentileza de se puder ir no mural do CVC dizer que a Mazé e eu passamos por aqui. Obrigada. bjos!

CIDINHA PAULO disse...

Boa noite Manuela!
Venho do CVC onde participo de uma brincadeira e estou tendo a honra de conhecer este espaço maravilhoso. Vc escreve muito bem. minha nova amiga, peço a gentileza de se puder ir no mural do CVC dizer que a Mazé e eu passamos por aqui. Obrigada. bjos!

Cristi@ne disse...

Oi Manuela tudo bom?
Tbm venho do CVC hj, aqui em Portugal, então vou postar como dia 20 rsrsrs
Preciso de sua ajudinha na brincadeira do Dado. Podes ir no Mural e deixar o comentário que a dupla Cris e Val esteve aqui hoje?
Obrigadinha...de coração :D
Lindos textos os seus...já estou te seguindo viu? bjinhos

Lita disse...

Magnífico!!! Senti-me a viver este texto tão poético, tão bonito... É sempre um prazer enorme ler o que escreve.
Beijos
Lita

Nilson Barcelli disse...

Um dia que possa, apareço na Maia...
Adorei o teu texto, magnífica prosa poética.
Um grande abraço, querida amiga.

Armando Sena disse...

Seria tão bom estar presente, não me tivesse o calendário agendado umas férias para outros azimutes.
Um belo texto, uma alegoria a esse tirano chamado tempo.

ONG ALERTA disse...

O tempo tem seu tempo....beijo Lisette.

Gracita disse...

Boa tarde poetisa amada!
Hoje vim parabenizá-la pela sua competência literária, visto que estamos comemorando o "Dia Mundial da Poesia" e você poeta borda com a delicadeza de uma artesã os fios de palavras que nos encantam e emocionam. Parabéns minha querida!
Beijinhos com sabor de carinho!
Gracita

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga o tempo passa inexorávelmente e não há como voltar atrás, o caminho é seguir sempre em frente, levando as doces recordações do passado no coração. Hoje é Dia Mundial da Poesia. Porque Ser POETA é transmitir nas palavras toda a magia que vai no coração e tocar assim a alma de quem lê, o meu muito obrigado pelos momentos tão Especiais que nos oferece. Como só agora consegui um tempinho para visitar os amigos poetas, espero que o seu Dia tenha sido pleno de Felicidade e Harmonia.
Beijinhos
Maria

Donetzka Cercck Lavrak Alvarez disse...

Lindo seu blog!

Encontrei-o em uma gincana promovida pelo blog de dado.

Eu sou Donetzka e faço dupla com Silvana.

Peço a vc que visite o blog dele e diga que foi visitada pela dupla Done e Silvana,ok?

Ajude_nos.Coloquei vc em favoritos.

O blog do Dado (CVC) é:

http://c.v.c.zip.net/

Vc entra e escreve no "mural" quem a visitou.A dupla,ok? Done e Silvana.

È somente até 22 de março!!!

Beijos e linda semana

Donetzka e Silvana


http://donetzkatextosbonitoseimagenslindas.blogspot.com.br/

LUZ disse...

Olá, querida amiga!

Não leva a minha amizade, não, porque ELA JÁ É SUA HÁ ALGUM TEMPO.

Continuaremos a consolidá-la, se Deus quiser.

Um beijo, com muito apreço.

elvira carvalho disse...

No dia mundial de poesia, não podia esquecer a poetisa que aqui mora.
Um abraço

ana costa disse...

Olá amiga!
Gostaria bastante de poder aceitar o teu convite, mas na impossibilidade de o fazer fica o meu desejo que tudo corra lindamente!!!!
beijo

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa tarde amiga
Hoje vim informar que endereço do meu blog mudou http://mariaalicecerqueira.blogspot.com.br/
E também agradecer pelo carinho de sua presença lá no meu cantinho, muito obrigada.
Querida pedir desculpas pela minha ausência, mas tem sido por conta de estar na luta em busca de uma editora para editar meu livro.
Agradeço a compreensão!
Tenha um lindo fim de semana
Com carinho Maria Alice

Eloah disse...

A janela fecha-se guardando retinas no baú do coração.
Eu voltei.
O tempo, não!
Lindo isto minha doce amiga.Escrevestes lindamente!
As vezes, tantas quantas imaginamos ou achamos necessárias, o tempo cria a sensação de estagnação e de imobilidade dando o espaço necessário para que as lembranças sejam guardadas, as cicatrizes curadas e os sonhos renovados. Um tempo especial para os novos recomeços. Mas, esta lentidão aparente e almejada escoa indiferente as nossas vontades ou as pausas necessárias. Bjs Eloah

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Manuelamiga

Gostei muito da tua visita e do teu comentário e das tuas opiniões ao Pulhítica etc; já gostei de não te teres tornado minha seguidora. E não gostei mesmo, mesmo, mesmo nada de teres olvidado, quiçá desprezado o meu http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com. E, vou gostar imenso de me dirigir às tuas /aos teus comentadoras/res para também me visitarem e se inscreverem nas respectivas perseguições, sff.

Qjs = queijinhos = beijinhos e não abração, como escrevi na minha resposta ao teu comentário lá no tal Pulhítica ou etc...

Abrações são para os homens; e, que eu saiba, só para alguns homens a dirigirem-se a outros homens (???), ai, ai, meu querido, queijinhos, oxalá no sítio do costume... Eu NUNCA fiz, faço e farei o que mandou o Chico Viegas: vai tomar no cu! Ainda que fosse o tal ministro, nunca se sabe o que o presente lhe reserva...

Qjs

H

Bia Hain disse...

Oi, Manuela, como vai? O tempo é mesmo uma entidade insana, ando conversando com ele há meses...Lindo escrito, um abraço!

.•♫•. Nancy .•♫•. disse...

✰ ❤ ♫ ❤ ✰ ❤ ♫ ❤ ✰
Un petit bonjour chez toi
BISOUS d'Asie et bon dimanche !!! :)
✰ ❤ ♫ ❤ ✰ ❤ ♫ ❤ ✰

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia
Como é bom ler estes textos carregados de saudade e de cores que nos fazem viver e amar mais e melhor.
Uma escrita fina onde os traços se desenham no olhar de uma criança.

AC disse...

Manuela,
Um autêntico convite a beber o néctar da vida. Convincente, diga-se.

Beijo :)

¨¨*:•: FRANCE*¨¨* disse...

Je viens te dire merci pour ta visite et je vais essayer de faire marcher la traduction car j'ai du mal à suivre tu sais
bisou

Mariazita disse...

Querida Manuela
Fez-me lembrar ".... O tempo pergunta ao tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo responde ao tempo que o tempo tem tanto tempo, quanto tempo o tempo tem ...."
O tempo! Corre , inexorável, e quando nos damos conta já só restam as recordações.
Felizes dos que ainda têm o que recordar - e memória para fazê-lo.
Gostei muito deste texto poético.

Aproveito para desejar uma Páscoa muito feliz.
Beijinhos

Zilani Célia disse...

OI MANUELA!
NESTES DEVANEIOS,DE UM TEMPO QUE NÃO TEM MAIS TEMPO, ESCONDEM-SE NOSSAS SAUDADES E RECORDAÇÕES...
LINDO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br

Donetzka Cercck Lavrak Alvarez disse...

Que pérola de poema saudade,Manuela!

Preciosidade! Amo seu blog desde que a visitei pelo CVC.

És uma poeta e das melhores!

E descreves um lugar paradisíaco,repleto de beleza e ternura que trazes no coração.
Ah,Portugal! Breve estarei aí para conhecer esse país que nos presenteia com poetas como tu,amiga.


Beijos,parabéns e um domingo de Paz Profunda


Donetzka

Parole disse...

O tempo nunca volta para que possamos semear o que iríamos precisar de colher no hoje... Se soubéssemos...

É sempre lindo te ler, Manu.

Beijinhos.

Aleatoriamente disse...

Manu tão querida!
O tempo é mesmo um menino birrento, que nos prega muitas peças. Uma delas é levar sem trazer de volta muitas coisas, mas se tem uma coisa que esse menino não consegue, é tirar nossas saudades, elas germinam no fundo dos olhos porque já enraizaram na alma.
Um belo poema minha linda! Amei "saborear" tuas palavras.

Beijão

Eloah disse...

Minha doce amiga, passei aqui para deixar meu abraço e todas as flores de maio para te encantar.Bjs Eloah

Beatriz Bragança disse...

Querida Manu
Se pudéssemos pedir:« Oh tempo, volta para trás!»,mas sabes que isso não é possível. Contentemo-nos em preservar e trazer à tona, todas as boas lembranças para nos deleitarmos com elas.
Continuação de uma semana cheia de boas recordações.
Beijinhos da
Beatriz

Fernanda Marinho disse...

Manu querida, vim apenas deixar-te um beijo.
Saudades...

Joaquim do Carmo (Quicas) disse...

"... No terreno pelado nascem agora saudades nas ervas rasteiras com medo de / nascer. (...) "
O tempo, Manuela, sempre enigmático a impor-se-nos irresistivelmente!
Belo poema, amiga, como sempre!
Abraço fraterno.