SEGUIDORES

sábado, 1 de setembro de 2012

O Tempo



O meu abraço de Boas Vindas!


 O tempo atravessa as horas que morrem com o sol
e deixo florir em mim pensamentos
nos  sorrisos hibernados dos rebentos.
Flutuo com as nuvens
ao ritmo das marés da leve aragem  
que abraça o meu cabelo
na corrida da passagem.
Escrevo-me com as cores etéreas deste pôr de sol morno
e deixo de me pertencer.
Sou agora a ânfora onde guardo a gravura amanhecida
acabada de nascer.
As tessituras do Universo definem as penumbras
deste cortejo indefinido
só audível na memória do
silêncio que eu sou.
Deixo-me viajar nas cordas
desta sirénica melodia
na indecisão de permanecer no oásis do meu sonho
nesta terna sinfonia.
Olho a Ogiva Azul
sem medos
e num assomo de cruel saudade
decido vestir de esmeraldas
os meus dedos.

Manuela Barroso
Tela:  R.Garassuta


20 comentários:

Leninha disse...

...deixo-me viajar em tuas palavras e em meu relicário acalento teu sonho ... em minha retina uma ogiva desenhada pelas cores de uma aquarela... as nuvens de setembro trazem guirlandas de flores... de brotações de pessegueiros se exalam aromas e róseos tons...
Mas minha saudade é doce, meu riso fácil e minha ternura imensa...a eles me entrego e brindo à primavera e à vida.E a ti.

Bjsssssss,
Leninha

Leninha disse...

Oi Manu,

Coloquei novamente meu nome como seguidora, por não estar recebendo tuas atualizações.

Bjssssss,
Leninha

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Manuela, belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Mônica disse...

Manuela
Que beleza de poema sobre o tempo.
O mundo continua tendo fé.
A gente é que está um pouquinho descrente.
Mas tudo passa e o mundo vai passar e a história do tempo está aí pra contar e recontar fatos de vida e de fé.
Obrigada por partilhar meus rascunhos. Esta semana vou recomeçar a trabalhar, reze por mim.
com amizade Monica

tecas disse...

«Escrevo-me com as cores etéreas deste pôr de sol morno
e deixo de me pertencer.
Sou agora a ânfora onde guardo a gravura amanhecida
acabada de nascer.» Divinal sentir num sublime poema livre. E livre é a alma que consegue transmitir por palavras tantos e magníficos sentires. Renovada a força poética depois de férias?:) beijinho amigo e uma flor.

Zilani Célia disse...

OI MANUELA!
UM BELO TEXTO, PROTAGONIZADO PELO TEMPO, QUE MÍSTICO QUE É, RESULTA EM VERSOS DITOS DE TODAS AS FORMAS, POR POETAS QUE O VEEM DE SUA PARTICULARIDADE POÉTICA.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br

Mallu disse...

As últimas palavras são de assombrosa e bela poesia. Amei

ॐ Shirley ॐ disse...

Delícia quando conseguimos aquietar o eu físico e deixamos a alma falar... Querida Manuela, um beijo!

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito lindo Manuela, este é um regresso em grande!
Boa semana!

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga

Peço desculpas pela minha ausência, mas não é por esquecimento, mas sim por conta de meu novo projeto, o qual me está retirando muito tempo.

Ser esposa, mãe, amiga, dona de casa, e ainda aprendiz de escritora, não é tarefa muito fácil, requer de nós um grande equilíbrio.

Queria muito agradecer por sua presença amiga lá no meu cantinho, presença que me alegra por demais meu coração e minha vida! Muito Obrigada!

Me perdoe por alguma coisa.

Um lindo dia para você.

Abraço amigo

Maria Alice


rosa-branca disse...

Olá amiga, naveguei em tão belo poema. Adorei. Beijos com carinho

Eloah disse...

" Num assomo de cruel saudade decido vestir de esmeraldas meus dedos"
Lindo isto minha doce amiga!Como sempre teces encanto e sentimento vestindo a natureza de beleza.
Belo!
Dias ensolarados e felizes para enfeitar tua alma.BjsEloah

mfc disse...

As tuas palavras são mesmo inconfundíveis!
Bebe-se cada uma delas com um sorriso nos lábios!
Beijinhos,

Pérola disse...

O teu mundo encantado tem magia. Por momentos deixei-me levar por ti...até ti.

Beijinho

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Manuela

Por vezes apenas queriamos ser a foz de um novo rio...acreditar que o tempo não existe...que o céu é azul...que o momento é eterno e o amor não tem hora marcada...que a poesia que escorre dos nossos dedos é o nectar dos amantes.
Como sempre ler-te é ler-me.
Queria também agradecer as palavras de apoio e carinho.
Estou esperando resposta a comentários que deixei em 3 blogues que têm imensos poemas meus,não vou desistir de ser dona do que é meu, não porque o que escrevo seja assim tão bom, mas é a minha alma e os meus sentimentos.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Manuela
"Na indecisão de permanecer no oásis do meu sonho"...
Lindo demais!!
Bem verdadeiro...
O amor assusta...
Estou indo pra uma Missão além fronteira e só retorno daqui a um mês...
Passando hoje pra informar para que vc não fique preocupada com o meu "sumiço", viu???
Entretanto, deixo post programado em todos os Blogs...
Na volta, retribuirei os comentários deixados, se Deus quiser!!!
Fiquemos com a Deus da paz!!!
Bjs fraternos

ONG ALERTA disse...

O tempo pode ser mágico, beijo Lisette.

SOL da Esteva disse...

Quem pode não sentir esse abraço, sentindo nele os dedos vestidos de esmeraldas?
Obrigado pela Poesia.

Beijos

SOL

Parole disse...

O tempo atravessa as horas que morrem com o sol
e deixo florir em mim pensamentos
nos sorrisos hibernados dos rebentos.

Delicioso passar as horas assim, Manu... com o pensamento onde te faz florir.

Beijinhos.

MARIA DA FONTE disse...

Só mesmo tu para me deixares deslumbrada com tão lindos textos. beijinhos