SEGUIDORES

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Mãos


Bates na sombra azul do meu peito.
Acordas as madrugadas
Que dormem sorrindo,
E as estrelas
Como as flores em Maio
Se abrindo...
Escreves na aurora
Em nuvens adormecidas
Os beijos que tardam!

As mãos em flor
São pétalas adormecidas
Numa canção de amor!

                                                                Manuela Barroso,  In "Eu PoéticoII"




11 comentários:

lis disse...

A poesia está nas em todas as coisas,
enquento no mundo uns provocam a dor outros escrevem poemas sensíveis assim.
obrigada por fazer-nos entender que com as mãos em flor se faz cançoes .
beijinhos Manuela deixo beijinhos

Luna Sanchez disse...

Ai, ai..."os beijos que tardam".

Muitos suspiros meus por conta dessas flores que se abrem em maio aí e em setembro aqui. Meu coraçãozinho bate aí, na tua terra, há algum tempo já, sabe?

^.^

Um beijo, querida.

Lizete Delmonte Ferraz disse...

"Escreves na aurora
Em nuvens adormecidas
Os beijos que tardam!"

Nossa, adoro como escreves...é lindo demais...encanta a alma e o coração, Manuela...

beijos com muito carinho...
Liz

Leninha disse...

Manu querida,vieste trazer nuvens,flores e madrugadas enfeitadas de ternura e poemas...a delicadeza veio para junto de mim com tuas inspiradas palavras...e agosto virou setembro,numa primavera antecipada e florida.
Bjsssss ternurentos(copiei de ti)
Leninha

Rui Pires disse...

É sempre um gosto poder ler tão belo poema!
Bom fim de semana!
Rui

Lunna disse...

Eu gosto a poesia me leva para dentro e me deixa em silêncio num aconchego que não pode ser invadido por nada e nem por ninguém...

bacio carissima

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela poesia...Espectacular....
Cumprimentos

tecas disse...

A poesia está em tudo e aloja-se silenciosamente na alma sensível de quem maravilhosamente a sabe escrever para a sentirmos vibrar em cada palavra.
Beijito amigo em seu coação, minha querida amiga, Manelinha.

mfc disse...

Sempre em azul com uma escrita onde os sentimentos fazem sorrir.

Helena Chiarello disse...

Amigamada...

"Bates na sombra azul do meu peito" com essas palavras, tão macias como "as madrugadas que dormem sorrindo" e despertam primaveras...

É carícia de pétalas ler teus poemas, Manu!

Saudade, pessoa querida!

Beijo no coração!

joaquimdocarmo disse...

Milagres escondidos entre os dedos, quais pétalas de rosas belas e cheirosas!
Beijinhos
Quicas