SEGUIDORES

sexta-feira, 29 de abril de 2011

QUIETUDE!


Na minha casa - Imagens Google
...E como saboreio a mansidão das horas que correm com o tempo marcado pelo som  cadenciado do tic- tac...
Deixo-me levar pelo meu pensamento e a minha imaginação não conhece os seus limites nem os limites que eu consinto...
Neste decorrer quieto do tempo, saboreio o meu EU!.
Prescindo do meu Ego!
Esse escuto-o de dia usando-o como escudo, tentando preservar as fragilidades dos sentimentos...
...E espero a noite...
Não aquela noite dos antigos sorrisos misturados com inquietações nocturnas...
Não!
Agora espero a noite para me encontrar, para me falar, para me sentir, para me amar!
...E como gosto de estar comigo, na mansidão da noite e na protecção escura...na Luz da minha Alma!
É um doce Vazio onde deponho todas as alegrias conquistadas e que fizeram, fazem, parte do meu crescimento interior!
O tempo vai correndo docemente, calmamente, suavemente...mas tão depressa...que tenho pressa de não o apressar!
...Quero que pare!
...Quero que esta quietude permaneça...antes de permanecer a saudade da Impermanência!
É que na Impermanência do tempo...só resta a saudade!

11 comentários:

mfc disse...

E que a quietude possa permanecer.

Rui Pascoal disse...

Quanta verdade. No fim... só resta mesmo a saudade.

Anónimo disse...

... quietude, serenidade, tranquilidade ... que permanecem, que crescem e tornam a Manuela um ser cada vez mais luminoso.

Um abraço Amiga,

Que a Paz esteja connosco,

das Neves, I.

Maria Lucas disse...

As vezes só apetece que o tempo pare, assim como as tuas palavras me fizeram

epee disse...

Um silêncio e a saudade... senão a melhor... a ideal... a quietude.

¬

Elcio Tuiribepi disse...

Olá amiga...

A quietude as vezes nos fala mais do que mil palavras, ela nos faz refletir, nos concede calma, paciência e equilibrio constantes
Por esses motivos crescemos interiormente, você tem toda razão
Muita paz, amor e equilibrio em sua caminhada
Um abraço na alma...bom domingo
Beijo

tecas disse...

Quantas vezes desejamos parar o tempo...
o silêncio muitas vezes diz mais que as palavras. Na quietude,deixamos fluir o pensamento.
«...E como gosto de estar comigo, na mansidão da noite e na protecção escura...na Luz da minha Alma!».
Lindo! Que na Luz da sua alma se sinta feliz.
Bjito e uma flor

Helena disse...

São bons os momentos de se poder estar assim, na calma e quietude, pensando a vida...
Tenho saudade de poder estar aqui mais vezes, querida amiga... Mas o volume de trabalho tá ficando cada vez maior, só o tempo não aumenta.. rsrs...
Mas sempre são bons os momentos de ler você...
Super beijo e meu carinho, Manuela!

Leninha disse...

Permanecer...sempre imaginei que este fosse o segredo do bem viver(meu sogro dizia:pedra que muito rola não cria limo)Hoje depois de muitos anos de estrada,penso que a nãopermanência também tem seus encantos...mas a minha dualidade vê beleza em ambos...Há momentos em que o que mais anseio é a quietude e outros em que preciso do movimento,do ruído e de pessoas falantes e pensantes ao meu lado...
Amo o que você escreve...amo a sua palavra...

Beijos e uma flor de tulipa lilás para você.

joaquimdocarmo disse...

Manuela
A quietude, esse "deixar correr o tempo" aproveitando-o para se observar o "eu", observando simultaneamente o próprio processo, talvez pudesse ser interessante, se fosse possível! Mas não: para além de uma "saudade" estranha, tal "Impermanência" só pode ser metodológica!
Restará a serenidade - ilusão de quietude?! - isso, sim, enquanto forma de estar, activa porque instalada, no inevitável devir!
Beijinho

Beatriz Bragança disse...

Querida Manelinha
Revejo-me neste teu texto de tão bela prosa poética!Também eu vivi momentos em que desejei que o tempo parasse!Porém, parado ou não, é possível que a quietude permaneça.De certeza, só a Saudade da Impermanência - essa está sempre presente.
Muitos parabéns.
Seja qual for o tema em que resolvas dissertar, é sempre um sucesso!
Beijinho
Beatriz