SEGUIDORES

sábado, 15 de dezembro de 2012

Outono amarelo





Na amálgama das horas que se alongam em fios de chuva inquieta,
atravesso o mundo na vidraça dos meus olhos, coado pelo sereno olhar
amarelo destas folhas deitadas que me fitam.
E há uma retórica numa linguagem muda mas levemente percetível,
numa simbiose de pensamentos ambivalentes neste caminho percorrido...
- A diferença está na cor- respondo.
- A semelhança está no tempo- retorquiu
Entre a neve que vai cobrindo a serra e os amarelos suaves que descem
a copa das encostas, vive-se a saudade de um tempo que finda numa
ácida despedida.
E olho o pensativo relvado de ondas paradas, cravejado de delicadas
anémonas que ora se enrolam, ora se distendem, dispostas à mercê da
delicadeza do vento que as embala na suavidade dos braços outonais
E tudo fica perfeito sem os artefactos geométricos, sem a pintura
premeditada de uma qualquer maquilhagem na pele deste chão.
Nem o mais belo âmbar amarelo...igualará a beleza da simplicidade
na humildade de quem aceita perder-se um dia na lama,
antes de ser beijada pela chuva.
.E o frio cáustico da neve congela este branco que vai invadindo
a montanha penetrando na alma...
E passeia-se um estado de quietação na aceitação do frio
que vai invadido a as entranhas numa purificação de
sentidos e desejos de paz.
E enquanto um sol tímido avivava ainda mais este tom esmaecido
tão terno, olhei os braços que iam ficando cada vez mais nus,
sem amarelo e sem neve: apenas o suporte conformado e pacífico
destas estátuas numa aparente inércia, indiferentes ao afiado vento leste.
Mas a neve continuará na montanha...
Regará e refrescará a terra.
E o esmeralda das folhas voltará em cada primavera.
Porém,
já não serei quem era!

Manuela Barroso
Fotos Pessoais "Da minha varanda"




24 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Adorei divagar por este seu lindo outono.
Como a minha próxima semana vai ser muito dificil em termos profissionais, e como não sei se terei tempo de passar pelas casas virtuais dos amigos, passo hoje especialmente para desejar um Natal muito Feliz.
Beijinhos
Maria

elvira carvalho disse...

Um poema excelente amiga. Mas não concordo consigo.
Nós somos sempre quem eramos. O invólucro é que vai mudando com as modas ou envelhecendo com o tempo. Mas a nossa essência é sempre a mesma.
Um abraço e bom fim de semana

✿ chica disse...

Mudamos a cada folha que cai ou muda de cor...Mas somos as mesmas na essência...Lindo! beijos,chica

vieira calado disse...

Olá, como está?
O seu texto é muito agradável
Agora, a verdade, é que nunca mais somos quem éramos!

Bjsss

Beatriz Bragança disse...

As imagens são de rara beleza. Quanto ao texto,como dizia Roberto Carlos:Não quero ver você triste assim...O nosso espírito é sempre jovem e então ,quanto ao teu, sempre tão exercitado, nem se fala,minha querida jovem.
Um bom domingo.
Um caloroso abraço da
Beatriz

Armando Sena disse...

O tempo convida à reflexão e, desta vez, acompanhado de excelentes telas.
Bjs

Mônica disse...

Manuela
sua poesia linda, este chao entao. Qu dó de pisa-lo. Nunca vi um tapete de flores tão maravilhoso. Só Deus para fazer.
Obrigada por suas palavras
com amizade Monica

fus disse...

Maravilloso poema e impresionantes fotos. Enhorabuena

un abrazo

fus

R. R. Barcellos disse...

"Tu és a soma do que foste e do que serás. És a integral, de zero a infinito, de todos os tempos do verbo ser".
(Comentário a Lu Cavichioli, cinco meses atrás. Continuo com a mesma opinião. Beijos.)

.•♫•. Nancy .•♫•. disse...

✿ ✿ ✿
Coucou Manuela et merci pour ta visite dimanche sur mon petit blog ! :o)
Merci aussi pour ce magnifique post !!!!
GROS BISOUS et bonnes fêtes de Noël à toi et aux tiens ! :o)
✿ ✿ ✿

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

As imagens de outono encantam-me e que tem assim uma varanda com estas vistas....
Poema lindo que completa a publicação!
Perfeita!
Boa semana!

lis disse...

Ah Manu
A'neve continuará na montanha... regará e refrescará a terra...'
e folhas e folhas continuarão voltando a cada ano ,a cada estação , a cda primavera,
' e já nao serei quem era'
isso dói hem? rs
doeu aqui,
Mas, há a esperança de outros Outonos já nao seremos as mesmas, seremos melhores!
Lindo seu poema Manu
te deixo um abraço de agradecimento por deixares que seja sua leitora ,por oferecer-me tanta beleza,
beijinhos

Pérola disse...

O ciclo da vida de amarelo vestido.
Perante a inevitabilidade do tempo, da vida, da mudança resta-nos ousarmos ser, respirar e fazer parte deste Mundo majestoso.

Que o medo não tolde nossos passos e avancemos com a branca neve iluminando-nos.

Um beijinho

Nilson Barcelli disse...

Achei o teu texto fabuloso. Acompanhei-te deliciado com as tuas palavras.

Manuela, querida amiga, tem uma boa semana e um Feliz Natal, extensivo aos que te são mais queridos.

Beijinhos.

Malu Silva disse...

Não resisti e fiquei a ler estes belos poemas que foram postados por aqui. É assim, quando se escreve com a alma que realmente sente...
Abraços

Moça disse...

Fotos lindas!
poema mais ainda!
bj
opinandoemtudo.blogspot.com.br

Leninha disse...

Manu amada,

Daqui a segundos não seremos os mesmos...como as folhas de outono, estamos em constante e inexorável mutação. Só o essencial não muda e permanecerá até o fim de nossos dias.
Teu texto está arrepiante, minha querida...inefavelmente, liricamente, maravilhosamente lindo!
Tua alma se mostra em tua sensibilidade ao fotografar e ao compor esta bela sinfonia de cores e esplendores...é a mais bela foto de folhas de outono que meus olhos já completaram.
Bravo! Bravíssimo!
Bjsssssss,
Leninha

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Manuela,achei seu poetar lindo demais.Vejo aqui muitos amigos meus seguidores.Se me der sua licença por aqui irei ficar.
Bjs.
Carmen Lúcia-Brasil SP.

AFRICA EM POESIA disse...

Manuela

venho deixar um beijinho.
Gosto muito de ti
Tenho tido pouco tempo e os dias têm sido curtos
deixo uma mensagem de Paz e Esperança
e umas letras para nos inquietar...

DIVAGANDO

É Natal
De Pobres e ricos
De novos e velhos...

De gente que sofre...
De gente que ama...

Neste desencontro...
E neste encontro ...

Afinal...
É mesmo Natal...



LILI LARANJO (Magia de Natal)

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Diz-se do poeta que tem sempre uma musa que o inspira....chegam de mansinho pensamentos...sentimentos próprios...emoções sentidas pelos outros...por ele próprio; é a natureza com a sua beleza...suas cores...suas catástrofes; são as acções do homem...actos bons......feitos históricos...atrocidades tremendas; violência de todos os tipos...guerras...pão tirado de bocas inocentes. Já dizia a morte ( narradora) no livro A menina que roubava livros, " fico simplesmente atónita com o ser humano, capaz ao mesmo tempo de actos fabulosos e atrocidades medonhas" Era mais ou menos isto o que ela dizia com toda a razão.
E assim vai o poeta construindo poemas lindos, utilizando as palavras mais belas para descrever atrocidades... Assim fazes tu também, Manuela...tentando com a magia das tuas palavras chamar a atenção de todos nós tanto para aquilo que de mais belo tem o ser humano como para aquilo que ele tem de mais horrendo. E o melhor que te posso desejar neste Natal, época em que o melhor de todos nós aflora, é que cada vez menos tenhas de utilizar as tuas belas palavras a descrever atrocidades humanas. Sei que gostarias muito de só ter de as usar para cantares as belezas da natureza, o sorriso das crianças e a paz no coração dos homens. É isso, Manuela que te desejo e também que o teu novo ano seja um ano sem sofrimento e com muita luz. Um beijinho muito especial e o meu agradecimento por todo o carinho que me dedicas. Boas Festas, amiga, junto de todos os que te são queridos.
Emília

Smareis disse...

Olá Manuela,


Estava aqui a ler essa graça de versos, e observando essa imagem, lembrei-me de coisas que surge, faz morada, inventa beleza, e depois partem. Por vezes as palavras abafam o meu sentido e os pensamentos passeiam por lugares incógnitos. Suas palavras me invadem, me envolve, e por vezes me perco dentro de mim mesma. Vivemos em constante mudança, assim como as folhas de outono deitada no chão a espera que os ventos as carreguem em outra direção. Obrigada pela leitura. Poema maravilhoso!

Desejo que você tenha um ótimo Natal, cheio de alegrias, harmonia e tudo que a sua caixinha de sonhos te faz acreditar. Que esse Novo Ano que se aproxima seja uma porta aberta para novos sonhos, renovações de fé e muita Paz para o nosso mundo.
Obrigada pela sua presença, amizade, carinho, durante esse ano de 2012.
Ótimo final de Ano, e maravilhoso começar de Novo Ano.
Feliz Natal e Próspero Ano Novo a você e todos os teus!
Beijos!


Refletindo com a Smareis


SOL da Esteva disse...

Descreveste a Vida com Maestria, servindo-te dum Outono amarelo, tal como se vai passando connosco.
Dos Outonos, nos vamos despedindo até outros Outonos; há sempre uma outra Primavera pelo meio.
Mas as imagens, querida!...
Belo conjunto com muito boa assimilação.
Renovo os Votos de Boas Festas.


Beijos


SOL

Maria Luisa Adães disse...

Olá, Natal Feliz!!!!!!!

"Mas a neve continuará na montanha...
Regará e refrescará a terra
e o esmeralda das folhas voltara
em cada primavera".

Pena que deixe de ser quem era
Tristes que deixemos de ser quem fomos...

Lindo!

Maria Luísa

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Manuela!
Que mais posso eu dizer depois de tudo o já comentaram acerca do teu texto?! Que ele é de uma grande beleza...tal como as folhas que serpenteiam sobre as nossas cabeças e delicadamente nos vêm atapetar os caminhos da nossa vida.Um grande abraço.
M. Emília