SEGUIDORES

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Era assim


Era assim que te vestias:
Um cigarro no cabelo de lume,
do sol de fevereiro.
Atravessavas o esqueleto ainda,
de árvores
arrastando arpões de sol
numa insidiosa farsa de estio;
ora alvejando pássaros  entre nuvens com dardos,
ora conquistando a  viuvez sedativa  de janelas aflitas.
Frio.
Quente.

Seja prelúdio  de primavera,
o teu ventre .


MBarroso

13 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Olá,querida amiga Manuela!
Que o prelúdio primaveril seja uma nuance do que virá!
Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm de paz e bem

Elvira Carvalho disse...

Gostei de ler.
Um abraço e uma boa semana

Graça Pires disse...

O sol de fevereiro. A insidiosa farsa de estio. Prelúdio de primavera.
Tão belo, Manuela!
Uma boa semana.
Um beijo.

Ana Freire disse...

Maravilhoso, este prelúdio de Primavera, na forma das suas inspiradas palavras, Manuela... que tantas sensações, sempre nos passam... e nos encantam...
Como sempre, de leitura deliciosa, do principio ao fim!...
Beijinho! Feliz semana!
Ana

Teresa Almeida disse...

Há sempre um prelúdio de primavera na intimidade da brisa que perpassa os teus poemas. Este exala um perfume especial.

Beijo, minha amiga.

Maria Rodrigues disse...

Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Manuel Veiga disse...


Manuela,

atrevo-me a dizer que poderá ter desmaiado a cor do "cabelo de lume"
mas continuam bem refulgentes "os arpões de Sol"
e todos os prelúdios!

gostei muito

beijo, minha amiga

Suzete Brainer disse...

Manuela,

Como aprecio a sua arte poética, um caminho
do encantatório das palavras, pousadas
de um sentir sublime!...

A Primavera a ser a sua poesia para
o voo da estação inteira!

Beijinhos.

Mar Arável disse...

Belo em todas as estações
mesmo que sejam brancos os seus cabelos

Majo Dutra disse...

De facto estes dias de sol e temperatura amena
bem parecem uma farsa de estio e não são, de todo,
um prelúdio de primavera, nem auguram que a mova
estação venha a ser aprazível.
Gostei muito do poema, Manuela. Uma forma magnífica.
Ainda em recesso, dei uma volta... O meu abraço...
Beijinho
~~~~

Zilani Célia disse...

OI MANUELA!
UM PRELÚDIO DE PRIMAVERA E DE FERTILIDADE!
ACHEI LINDO DEMAIS.
ABRÇS
https://zilanicelia.blogspot.com.br/

Emília Pinto disse...

Tem sido assm, um sol timido nestes ultimos dias de fevereiro, sol que não aquece, mas que acalenta os corações preparando-os para a Primavera. Para ela preparam-se também as árvores com os seus galhos apontando os céus, ansiosos que as primeiras folhas comecem a aquecer o seu esqueleto tanto tempo exposto ao frio do inverno. Os primeiros pássaros já aparecem timidamente na minha varanda, esgaravatando a terra à procura de alimento e algumas florzinhas alegram o espaço com o seu colorido. Era assim e assim é ainda neste perido... ora frio, ora quente, céu clarinho ou com nuvens pesadas... um tempo incerto que anucia a Primavera, sempre certa neste mês de Março quase a chegar. Mais um momento delicioso de poesia, Manuela, anunciando-nos que logo logo teremos o colorido da Primavera que tornará os dias mais alegres. Uma boa semana. Um beijinho
Emilia

Imaculada disse...

Que lindo poema,querida Manuela!
Senti saudades do Anjo Azul...
Vim te dar um grande abraço e desejar-lhe: Muitas bênçãos e tudo de bom em todas as estações.