SEGUIDORES

sábado, 9 de janeiro de 2016

Na palma





 Vladimir K.
  
Na palma aberta do limbo
caem grossas gotas de chuva,
escorregando,
soltando-se 
em para-quedas
na submissão da terra.

uma e outra gota cai,
desprende-se,
flutuando
na submissão dos charcos.

cai uma outra  
descendo
na face rosada do Homem :
logo a desfaz,
esmagando-a na escama e na pele
antes que chegue aos ossos da Terra.

e o limbo se pergunta quem erra.



Manuela Barroso- Eu Poético VII

10 comentários:

Ana Freire disse...

Realmente o Homem tem esse dom... esmaga e estraga, quase tudo o que toca... à sua volta... os outros, a Natureza, e em último caso, ele mesmo, por vezes...
Esconde as lágrimas... porque lhe foi ensinado, que não mostrar sentimentos... é ser um Homem... e por isso o Homem tem vindo a perder a humanidade... porque se esqueceu de chorar... e sentir... e porque desaprendeu de chorar... faz o mundo chorar... para mostrar, e reafirmar, a pura essência do seu erro... a desumanidade...
Um poema absolutamente admirável, Manuela!...
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Nina Filipe disse...

Minha querida Manela, parece mentira mas creia que é a pura das verdades...como eu adoro a sua poesia, como eu gosto tanto de si, e tão raras vezes a visito será que alguma coisa que o Universo tem a conspirar contra nó?
Não se explicar eu agora também ando mais nos joguinhos do Facebook e como os blogues caíram mas no esquecimento, talvez seja isso...mas minha linda amiga pode crer que a minha amizade é verdadeira, amar alguém que se não conhece é a grandeza de um pequeno gesto mas para mim é bem grande.
Fica bem Fica com Deus continua a brindar os meus olhos e o meu coração com tão lindos poemas, beijos de luz e muita paz.

Maria Rodrigues disse...

Absolutamente brilhante!!!
Beijinhos
Maria

Fê blue bird disse...

A natureza nunca erra.
Parabéns pelo poema sensível e reflectivo.

Um beijinho
Fê blue bird

Elvira Carvalho disse...

Um pouco triste, mas forte, e belo.
Gostei.
Um abraço e bom fim de semana

Gracita disse...

Que profundo minha amiga
Ler... reler saborear e deglutir com prazer cada verso do teu belíssimo poema num deleite imensurável
E a imagem espetacular!!!! Harmonizou-se com teus dizeres num duo magistral
Beijos e sorrisos minha linda amiga

Aleatoriamente disse...

Delícia esse carinho poético que este lugar de paz, harmonia e poesia nos proporciona. Obrigada por isso meu anjo azul

© Piedade Araújo Sol disse...

intenso e emotivo...quem erra?!
acho que todos nós.
um poema a transbordar um imenso talento.
beijinhos
:)

Olinda Melo disse...


Olá, Manuela

Ler este seu poema em recolhimento absoluto é pouco. É preciso mais, muito mais.Lê-lo uma e outra vez é quase obrigatório para nos imbuirmos da grande mensagem que nos envia, à Humanidade, a todos nós. Necessário se torna respeitarmos a Terra, o nosso Planeta tão lindo e tão azul.

Beijinhos

Olinda

Jaime Portela disse...

As vantagens e os inconvenientes do livre arbítrio que o Homem possui...
Mais um excelente poema, gostei imenso, como sempre.
Manuela, minha amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.