SEGUIDORES

sábado, 3 de maio de 2014

Chora, Terra...



Chora, Terra pela injustiça dos fracos na cegueira da guerra
Na indigestão da crueldade, vomita em lava o vermelho incan-
descente  da maldade.
Grita a tua fúria no relâmpago das trovoadas. Os Homens já não
ouvem a linguagem mansa das manhãs orvalhadas.

Faz chorar as nuvens. Os Homens já não têm lágrimas.
Rega os campos, as flores e a harpa do centeio.

A navalha do grito do vento,
fez refém a luz do pensamento.

Manuela  Barroso in "Eu Poético VI"
Imagem: Da Net








A ti
Obrigada, Mãe!

17 comentários:

SOL da Esteva disse...

Lágrimas de dor pelo destino que não partilhamos, não controlamos...
Regar a seara da mágoa de não descortinarmos "um" sol de conforto e justiça.
Reféns de tudo.
Bela intervenção.


Beijos


SOL

Olinda Melo disse...


Um poema cheio de força. E a mãe-natureza regará os nossos dias de estio e iluminará as nossas noites mal dormidas.

Tenha um excelente domingo, cara Manuela.

Bjs

Olinda

Bob Bushell disse...

Wow, what a magnificent tree, dripping. And the poem, marvelous too.

✿ chica disse...

A Terra tem muito a chorar.Pena.Lástima! Até quando? beijos,ótimo domingo! chica

Nilson Barcelli disse...

"Os Homens já não
ouvem a linguagem mansa das manhãs orvalhadas."
Excelente poema, gostei imenso. O excerto que destaquei, pode resumir o poema, todo ele bem elaborado e belíssimo.
Tem um bom domingo e uma boa semana, querida amiga Manuela.
Beijo.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

A Terra já foi tão alegre, feliz, hoje chora e tão poucos a consolam!
Ainda bem que há poesia...
Beijos, Manu.

Antonio Reis disse...

Um dia lindo para as mães de Portugal e que assim tenha sido seu dia Manuela.
A mãe chora pelos desmandos, mas suas lagrimas umedecem o solo onde afloram as flores o trigo. Ela é generosa.
Um abraço com todo carinho e admiração às mamães de sua familia.
Uma linda semana de paz e alegria.
Meu terno abraço.
Beijo de paz e luz amiga.

ॐ Shirley ॐ disse...

A mãe Natureza pede socorro...
Mais um belo poema, querida Manuela.
Feliz Dia para todas as Mães portuguesas!
Beijos e muita luz!

Smareis disse...

Oi Manuela, minha tão querida amiga!
Tava com saudades.
Feliz Dia das mães!
Aqui sempre texto de excelência!
A terra chora, e a gente pode sentir sua dor.
Linda essa imagem!
Beijos queridona e uma ótima semana!
ótimo mês!

Emília Pinto disse...

Chora a terra...chora a mãe natureza...choram as mães às quais um dia foi destinado para que de alguma forma não chorassem, pelo menos nesse dia. Mas...penso que algumas não só choram mais como gritam de revolta; os seus filhos choram pelas injustiças...choram " pela cegueira das guerras...choram de fome, de frio, de sede. E nessa " indigestão de crueldade "
choramos todos pela falta daquelas lágrimas que correm de olhos emocionados pela grandeza da alma humana, pelo ombro amigo oferecido, pelo pão colocado na mesa de alguém que já há muito não o tem. Choramos pela falta de lágrimas de alegria, pela falta de lágrimas de um caloroso abraço de um amigo. Connosco chora a terra indignada com tamanha falta de humanidade e compaixão.

E ao choro da tua terra, junto o meu, Manuela, um choro sentido, sempre mantendo a esperança de que as mães todos os dias tenham uma lágrima de emoção correndo rosto abaixo. Um beijinho, querida amiga e...bela homenagem feita a todas as mães. Obrigada pela parte que me toca, como mãe e como filha.
Uma boa semana!
Emília

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Manuela!
O mundo anda virado do avesso por culpa do homem que cada vez está mais egoísta.As guerras alastram em todos os cantos...e este poema diz tudo e de que forma?! Da forma mais bela!
Um abraço amigo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente poema....
Cumprimentos

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Manuela.
Os homens são em si insensíveis, nada choram , nada sentem, somente destroem o que de graça lhes foi dado.
A vida da Natureza é expressada em lamentos, pois já não consegue mais sofrer tanta crueldade em si mesma.
Parabéns!
Tenha um abençoado fim de semana de paz!
Beijos n alma!

ღ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ღ disse...

✿•̃‿•̃✿

Passe un excellent dimanche chère Manuela !!!
GROS BISOUS D'ASIE jusqu'à toi !!!

Celso Mendes disse...

"A navalha do grito do vento,
fez refém a luz do pensamento."

Lindíssimo poema, Manuela!

Beijo, amiga.

Helena Chiarello disse...

Manuamada,
tua poesia sempre me encanta!
Belíssimo poema!
Tenho saudade de estar por aqui mais vezes, mas sei que sabe minhas "tarefinhas" por aqui.. rsrs
Beijo gigante e obrigada sempre pelo carinho, amiga querida!

rosa-branca disse...

Olá amiga, um poema escrito no fio de uma navalha que até dói. Adorei. Beijos com carinho