SEGUIDORES

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sinto



Sinto a sombra que anoitece
na noite que calma, desce
Sinto o vulto da mão da lua
que sacode a minha noite
na escuridão que me dói
Sinto o canto das fontes ligeiras
invadindo a liberdade
que me entristece,
me constrói
Sinto o vento em voz suave
na ligeireza leve
da luz que anoitece
Sinto a liberdade dos sonhos
nos jardins inconscientes dos segredos
 que se perdem
no sopro lívido da noite sem medos
Sinto os laços ofuscantes e fluidos da harmonia
escritos na boca das flores
em sorridente geometria
E sinto a vida presa
na corda fugaz, fria e estranha
do tempo difuso
numa ansiedade tamanha...
 que as horas que correm paradas
 são momentos que recuso...
Numa solidão de fios
divididos no pensamento,
sobe a ânsia de encontrar-te
num crescendo movimento.
E eu nunca estive aqui.
Fui um simples meteoro.
Atravessei  ares inóspitos
com sentimentos incógnitos.
 Evaporei  com o sol
...Desapareci...  
     
Manuela Barroso
                                                                                                                                                                                                                                                          

23 comentários:

Lizete Ferraz disse...

..."Sinto a liberdade dos sonhos
nos jardins inconscientes dos segredos..."

..."E eu nunca estive aqui...
Fui um simples meteoro..."

Palavras que ressoam e emocionam na minha alma...obriga, poeta linda, por voce existir...e sempre deixar os meus dias como se fossem plumas a flutuar...

Lindo demais...
Um dia lindo...
Beijos mil

Ibrahim disse...

Uma vez mais Manuela, parabéns! Aproveito para lhe apresentar algo engraçado, pois, à cerca de um mês escrevi um pequeno texto com o mesmo titulo:
"Sinto
Tenho medo dos meus sentidos, recuso-me a obedecer-los. Fujo em frente onde a liberdade se encontra, não quero mais prisões, nem obrigações, não quero verdades irrefutáveis, são mentiras continuas onde o Eu se perde na fusão de outros. Quero a solidão , quero o eu verdadeiro, o eu só! Sem atributos, despido dos rótulos dos outros, quero ser vidro cristalino! Quero ser uma palavra chamada amor. Prefiro perder o amor da vida a encontrar a prisão da morte. Tenho medo do que sinto...mas sinto!"

Luna Sanchez disse...

E eu sinto emoção por poder enxergar o mundo através da tua ótica apurada e sensível, querida Manu.

O teu blog tem perfume, sabia? Eu entro aqui e fico inebriada, feliz!

Beijo carinhoso.

Milla Pereira disse...

E isso nos dá a dimensão exata do que somos e do que queremos ser, Manuela. Belissimo poema, parabéns! Bom fds, beijo grande.

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre deixas-me sem palavras, perante a beleza das tuas.

Por entre as pedras...por entre os cardos...descalça caminho por entre as cinzas...aquém de mim...além da dor.

Por entre as pedras...por entre os cardos...descalça caminho
Aquém de mim...além da dor

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Leninha disse...

Manu querida,um dia,já vai longe no tempo,senti desejo de ser folha,de ser parte de um arbusto,na beira de um caminho...
Quis ser gota,que o vento carregasse pelo ar...quis ser pássaro
que almejasse o infinito,quis ser sonho leve de uma criança,quis ser esséncia,sons e aromas...
Teu poema evoca este tempo,teu poema trás a beleza melancólica de sentires não revelados,de plumas,de aragens,de ternuras secretas e sonhos reprimidos...mas nunca estiveste lá...
Como sempre,trouxeste a beleza à minha manhã de primavera,
Bjsssss,
Leninha

Laila disse...

Lindo poema! Delicado e sensível, e, ao mesmo tempo, dotado de força.
Você conhece a obra de Álvares de Azevedo? Pelo estilo com que escreve, imagino que iria gostar dele!

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

E aqui está Manuela o que de mais intimo temos na alma humana. O SENTIR; sentir e compreender o que vai dentro de nós, sentir e perceber o que vai dentro dos outros. " Eu nunca estive aqui"...temos muitas vezes a sensação de que nunca estivemos lá no fundo, bem no fundo do nosso ser e muito menos no interior de quem está do nosso lado. E é esse sentir, essa ansiedade, essa solidão às vezes, esses ares inóspitos que atravessamos que faz da nossa vida complexa e cheia de dúvidas. É a alma humana...sempre atribulada...complexa. Um beijinho, amiga e parabéns pelo teu " Sinto", pleno de emoções.
Emília

Evanir disse...

Não se permita entristecer,
por nada nesse Domingo.
Mostre a todos o valor do seu sorriso
aproveite esse Dia para ser feliz
Faça chuva ou Sol estarei sempre aqui para dizer
que te amo.
Um lindo e feliz Domingo.
Beijos no coração.
Evanir

mfc disse...

Tens que voltar a encontrar-te.
Deves-te isso... da mesma forma que fazes poemas lindos!

Helena Chiarello disse...

Oie, Manu...

Vim de novo ler esse texto tão especial... E me surpreendi com a ausência do meu comentário aqui... Vc o recebeu? Será que o blogger "papou" o que escrevi? rsss

Um beijo e meu sempre carinho!

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Oi Manuela!
Poesia tem hora para quem a desenha e para quem a lê.
É sempre sentida, será que o poeta é um fingidor?
Não, não é , o sentimento atordoa, eleva-nos.
Gostei,parabéns, voltarei.
Até breve
Herminia

BlueShell disse...

..."E sinto a vida presa"...

..."Fui um simples meteoro"...
Lindo, sabes?

Abraço meu

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Lindo poema, gostei imenso!

Laila disse...

Alô, Manuela! Demorei mesmo para vir! Tenho me dedicado muito pouco ao blog, tanto pelas postagens, que estão escassas, como por responder os comentários. Mas gostei muito do que escreves, voltarei sempre!
Álvares de Azevedo é um poeta do romantismo brasileiro, que eu particularmente gosto muito. Recomendo dele a "Lira dos Vinte Anos"!

Ange disse...

Whau! que inspiração! que sentir!
Um texto que voa ao vento, mas não desaparece!...
Parabéns! um lindo começo de semana para você.
Lembranças.
Ange.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

BlueShell disse...

A tuas palavras no meu blog....sempre me comovem...Sinto um carinho imneso...que há muito não sentia.
Confortam-me, fazem-me "ver" o mundo de modo diferente.
Te agradeço, amiga (não imainava, há uns anos atrás, podermos fazer amios "virtuais"! Agora...não tenho dúvidas!!!

Obrigada!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Espetacular! versos sentidos e refletidos. Adorei conhecer. Sigo sua linha do horizonte. Bjs grande!

Adriana Vargas disse...

Ola querida!
Mande-me um email para combinarmos!
adrianavargas.ocadv@hotmail.com

Leninha disse...

Minha amiga muito querida,
Bom dia!!!

E está, realmente,um lindo dia,
pássaros cantantes em minha janela,alma sorrindo feliz,céu azul e
sentires exacerbados...
Novamente leio teu poema e novamente me encanto com teus sentires...és um poema,amiga Manu.
Bjsssssss e um carinho imenso,
Leninha

。♥ Smareis ♥。 disse...

Olá Manuela, fiquei imensamente feliz com sua presença.Estarei sempre aqui lendo seus versos.Parabéns por esse lindo poema.É um sentir poetizado só de coisas belas. Um beijo grande no teu coração.

Smareis

tecas disse...

Que sentir mais belo, querida Manelinha. As palavras soltam da alma e chegam ao céu num voo de verdadeiro sentir, neste seu poema. Quanta sensibilidade!!!Não é poeta quem quer e sim quem tem na alma a poesia, para a libertar e...
Bjito amigo e uma flor.